Ministra do TST concede liminar para impedir greve de petroleiros; multa será de R$ 500 mil por dia

Na ação, a AGU e a Petrobras dizem que não podem deixar que o Brasil seja afetado pelo movimento "sob pena de enormes prejuízos à sociedade"

PetroleirosPetroleiros - Foto: Wikipedia

A AGU (Advocacia-Geral da União) anunciou que conseguiu liminar no TST (Tribunal Superior do Trabalho) declarando ilegalidade da greve dos petroleiros, convocada para esta quarta-feira (30). De acordo com o governo federal, a decisão judicial estipula multa diária de R$ 500 mil em caso de descumprimento.

Leia também
Paralisação de petroleiros é política e sem reivindicação, diz Pedro Parente
Petrobras e AGU querem que TST julgue greve de petroleiros ilegal

Na ação, a AGU e a Petrobras dizem que não podem deixar que o Brasil seja afetado pelo movimento "sob pena de enormes prejuízos à sociedade, que já vem sofrendo consideravelmente com as paralisações de serviços em função da greve dos caminhoneiros". Argumentam, ainda, que as reivindicações não têm natureza trabalhista.

Os petroleiros anunciaram a decisão de entrar em greve, por 72 horas, a partir das 0h de quarta-feira (30). Eles pedem a redução no preço dos combustíveis e do fás de cozinha, manutenção de empregos, a demissão do presidente da estatal, Pedro Parente, entre outros. Na ação, a AGU pedia a manutenção de todos os trabalhadores que prestam serviços à Petrobras e subsidiárias, sob pena de multa diária de R$ 10 milhões.

Veja também

Prazo para débito automático do IR desde a primeira cota termina nesta segunda
Imposto de Renda

Prazo para débito automático do IR desde a primeira cota termina nesta segunda

Pandemia trava avanços de jovem no mercado de trabalho
Coronavírus

Pandemia trava avanços de jovem no mercado de trabalho