A-A+

CORREIOS

Ministro defende privatização dos Correios em pronunciamento

Fábio Faria disse que é preciso fortalecer a estatal

Defesa foi feita em função da retomada dos trabalhos do Legislativo após o recesso parlamentar de julhoDefesa foi feita em função da retomada dos trabalhos do Legislativo após o recesso parlamentar de julho - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, fez, na noite de nesta segunda-feira (2), um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV para defender o projeto de privatização dos Correios. A defesa foi feita em função da retomada dos trabalhos do Legislativo após o recesso parlamentar de julho.

No pronunciamento, o ministro disse que os Correios são um "orgulho do Brasil" e que é preciso fortalecer a estatal para garantir a universalização dos serviços postais.

"Com a privatização, os Correios vão conseguir crescer, competir, gerar mais empregos, desenvolver novas tecnologias, ganhar mais eficiência, agilidade e pontualidade. Somente assim, os Correios poderão manter a universalização dos serviços postais, que significa estar presente em todos recantos do país", disse. 

Faria também disse que, no passado, a empresa foi alvo de corrupção e que a estatal registrou lucro de R$ 1,5 bilhão em 2020.

 

"Mesmo com muito trabalho e seriedade, o faturamento se mostra insuficiente frente ao que precisa ser investido todos os anos. São necessários R$ 2,5 bilhões por ano em investimentos para que os Correios permaneçam competitivos e possam disputar o mercado com as outras empresas de entrega, de logística que já operam aqui no Brasil", afirmou. 

Em abril deste ano, os Correios foram incluídos no Programa Nacional de Desestatização (PND).

O tema está em debate na Câmara dos Deputados, por meio do Projeto de Lei (PL) 591/21, que trata da exploração dos serviços postais pela iniciativa privada. A urgência da tramitação do projeto já foi aprovada pela Casa.

Veja também

Vale decide devolver processos de mineração em terras indígenas
Território indígena

Vale decide devolver processos de mineração em terras indígenas

Entenda por que a Evergrande sinaliza desaceleração da China e seu impacto no Brasil
Bolsa

Entenda por que a Evergrande sinaliza desaceleração da China e seu impacto no Brasil