Ministro do Supremo pede informações à Câmara sobre Lei da Terceirização

Rede Sustentabilidade e PT pediram anulação da votação na qual foi aprovada a lei que trata da terceirização da mão de obra da área fim das empresas.

Ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de MelloMinistro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello - Foto: Agência Brasil/Arquivo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello pediu esta terça-feira (28) a manifestação da Câmara dos Deputados antes de decidir sobre o pedido de parlamentares da Rede Sustentabilidade e do PT para anular a votação na qual foi aprovada a lei que trata da terceirização da mão de obra da área fim das empresas. “Entendo prudente solicitar, no caso, prévias informações ao órgão apontado como coator”, despachou o ministro.

No STF, os parlamentares sustentam que a Câmara não poderia dar andamento ao projeto após um pedido feito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, para que a matéria fosse retirada de pauta. No entendimento das legendas, a Câmara deveria ter votado a mensagem presidencial antes de decidir dar andamento à matéria. O projeto foi enviado ao Congresso em 1998, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O Palácio do Planalto tem a intenção de sancionar o projeto de lei da terceirização, aprovado pela Câmara na semana passada. Segundo fontes próximas ao presidente Michel Temer, ele não quer protelar a aprovação de um projeto cuja tramitação se arrasta há quase 20 anos. O Projeto de Lei (PL) 4.302/1998 libera a terceirização para todas as atividades de empresas privadas e do setor público. Além disso, Temer tem interesse em que o debate no Senado sobre o tema continue, já que lá corre outro projeto sobre a matéria.

Veja também

Problemas na vacinação e alta de casos exigem novas políticas de auxílio, dizem economistas
Pandemia

Problemas na vacinação e alta de casos exigem novas políticas de auxílio, dizem economistas

Pesquisa da Conab indica queda na produção de café nacional em 2021
Economia

Pesquisa da Conab indica queda na produção de café nacional em 2021