Coluna Movimento Econômico

Inteligência artificial avança e desafia educação digital no Brasil

Sem investimentos adequados na área, o Brasil pode declinar tecnologicamente perante outras nações.

Inteligência artificial traz desafios ao BrasilInteligência artificial traz desafios ao Brasil - Foto: Pixabay

O recente relatório Recomendações para o avanço da inteligência artificial (IA) no Brasil analisa os impactos da IA sobre o país. O material foi produzido por um conjunto de 16 cientistas, a pedido da Academia Brasileira de Ciências (ABC). O porta-voz da ABC, o professor da UFRJ Edmundo Albuquerque de Souza e Silva acredita que, sendo o Brasil uma economia emergente, se não forem tomadas as devidas providências a IA provocará “um desastre” na sociedade.

A análise é de grande relevância diante do protagonismo que a IA pode ter no desenho do futuro da humanidade. Se isso será bom ou ruim, depende das escolhas que governos e sociedades fizerem diante de seu avanço. O alerta é o seguinte: sem investimentos adequados na área, o Brasil pode declinar tecnologicamente perante outras nações e ficar à mercê de países que estão na vanguarda dessa inovação. Um dos pontos sensíveis é a necessidade de se preparar pessoas para lidar com essa revolucionária tecnologia.

Na última quinta-feira, o IBGE divulgou a PNAD Contínua trazendo dados sobre o uso da Tecnologia da Informação e Comunicação no quarto trimestre de 2022. A pesquisa mostra que, no período, a Internet alcançou 91,5% dos lares (68,9 milhões) no país, um aumento de 1,5 p.p. em relação a 2021. A taxa de crescimento tem sido cada vez menor, indicando aproximação da universalização do serviço nos domicílios.

A questão, porém, não se resume ao acesso à internet, mas o uso que se faz dela. A PNAD revelou que a principal finalidade para o cesso à rede é “conversar por chamadas de voz ou vídeo”. Em segundo lugar vem “enviar ou receber mensagens de texto, voz ou imagens”. Depois: “assistir a vídeos, programas, séries e filmes”. E, na sequência, “usar redes sociais” e “ouvir músicas, rádio ou podcast”.  “Ler jornais, notícias, livros ou revistas pela Internet” está em sexto lugar nos interesses.

Os dados precisam ser analisados por especialistas, mas de imediato indicam que a diversão é a prioridade no uso da internet no Brasil, embora a rede possa ser acessada por 92,2% dos estudantes.

Os equipamentos mais utilizados para acessar a internet foram o celular (98,9%) e a televisão (47,5%), e isso explica muita coisa. Computador (35,5%) e tablete (7,6%) ficam por último.

Os dados podem indicar muitas coisas, inclusive o atraso do Brasil no processo de educação digital.

Revolução energética

Os investimentos em energia eólica na Bahia, segundo estado em capacidade instalada no país, superam os R$ 71 bilhões até 2029. Os números expressivos destacam a velocidade de crescimento do seguimento no Nordeste. A título de comparação, o Complexo de Suape recebeu, em 45 anos de história, aportes privados da ordem de R$ 74 bilhões.

Sites regionais avançam

A Bites, empresa de análise de dados, fez um levantamento inédito para o site J&Cia sobre a audiência de sites dedicados a notícias regionais no Brasil. Ao longo de 2023, os 200 maiores atraíram 183 milhões de visitas por mês. Nos próximos dias, a Bites divulgará estudo sobre a importância da mídia regional na estratégia de comunicação corporativa das empresas brasileiras.

Leia também no Movimento Econômico:

Inteligência Artificial (IA) e ESG são tendências de negócios para 2024

Veja também

Com Super Sale, Recife Outlet promete mais descontos
Consumo

Com Super Sale, Recife Outlet promete mais descontos

A força do agro se confirma mais uma vez
Coluna Movimento Econômico

A força do agro se confirma mais uma vez