Movimento nas ruas do Centro do Recife cai 50%

No comércio do Centro do Recife, o vazio tomou conta das ruas, onde a circulação de pessoas é sempre intensa.

Ruas com pouco movimento na área central do RecifeRuas com pouco movimento na área central do Recife - Foto: Arthur de Souza / Folha de Pernambuco

No comércio do Centro do Recife, o vazio tomou conta das ruas, onde a circulação de pessoas é sempre intensa. Segundo estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-Recife), se comparado aos dias anteriores à paralisação, o fluxo de pessoas nas ruas foi 50% menor. Já nos shoppings, apesar de não haver nenhum posicionamento oficial por parte da Associação dos Lojistas de Shopping de Pernambuco (Aloshop-PE), a reportagem verificou o mesmo cenário de lojas vazias e pouca circulação em alguns dos principais centros de compras do segmento.

Leia também:
No Grande Recife, calmaria e ruas vazias diante da crise dos combustíveis
Passageiro terá 50% dos ônibus nas ruas em horário de pico nesta sexta, diz Grande Recife


Na CDL, a orientação é para que os lojistas mantenham a tranquilidade. “Porém, a cada dia fica mais complicada a situação. Afinal, a greve compromete o transporte público e quem tem carro está evitando rodar para não acabar com a gasolina”, afirma o presidente da entidade, Cid Lôbo.

Com o pouco movimento e a dificuldade dos trabalhadores chegarem às lojas, os representantes do comércio demonstraram preocupação. No quiosque de doces do Shopping Tacaruna, a comerciante Maria Eliete de Paula registrou queda nas vendas. “O movimento está muito fraco, e consequentemente, as vendas estão menores. Em dois dias a venda caiu em 50%”, ressaltou. Os poucos consumidores que estavam no centro de compras aproveitaram o momento para fazer trocas. “Hoje está vazio em todo canto do comércio. Aproveitei que estava fazendo exame em uma clínica para passar aqui e fazer a troca de um produto”, comentou a trabalhadora do lar, Gilvanice Gomes.

Na loja de calçados Casa Pio, a circulação foi bem abaixo do normal. Segundo representantes do estabelecimento, o gerente dispensou funcionários ao longo do dia, já que não tinha venda para ser feita. E a situação foi a mesma nas Lojas Americanas do bairro da Encruzilhada. De acordo com um representante da loja, o estabelecimento não teve prejuízo porcausa do esforço da equipe.

Veja também

Nova meta do governo prevê fibra ótica em 99% da cidades brasileiras
Tecnologia

Nova meta do governo prevê fibra ótica em 99% da cidades brasileiras

Dólar volta a R$ 5,40 com tensões no mercado externo
Câmbio

Dólar volta a R$ 5,40 com tensões no mercado externo