Economia

Movimento nas ruas do Centro do Recife cai 50%

No comércio do Centro do Recife, o vazio tomou conta das ruas, onde a circulação de pessoas é sempre intensa.

Ruas com pouco movimento na área central do RecifeRuas com pouco movimento na área central do Recife - Foto: Arthur de Souza / Folha de Pernambuco

No comércio do Centro do Recife, o vazio tomou conta das ruas, onde a circulação de pessoas é sempre intensa. Segundo estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-Recife), se comparado aos dias anteriores à paralisação, o fluxo de pessoas nas ruas foi 50% menor. Já nos shoppings, apesar de não haver nenhum posicionamento oficial por parte da Associação dos Lojistas de Shopping de Pernambuco (Aloshop-PE), a reportagem verificou o mesmo cenário de lojas vazias e pouca circulação em alguns dos principais centros de compras do segmento.

Leia também:
No Grande Recife, calmaria e ruas vazias diante da crise dos combustíveis
Passageiro terá 50% dos ônibus nas ruas em horário de pico nesta sexta, diz Grande Recife


Na CDL, a orientação é para que os lojistas mantenham a tranquilidade. “Porém, a cada dia fica mais complicada a situação. Afinal, a greve compromete o transporte público e quem tem carro está evitando rodar para não acabar com a gasolina”, afirma o presidente da entidade, Cid Lôbo.

Com o pouco movimento e a dificuldade dos trabalhadores chegarem às lojas, os representantes do comércio demonstraram preocupação. No quiosque de doces do Shopping Tacaruna, a comerciante Maria Eliete de Paula registrou queda nas vendas. “O movimento está muito fraco, e consequentemente, as vendas estão menores. Em dois dias a venda caiu em 50%”, ressaltou. Os poucos consumidores que estavam no centro de compras aproveitaram o momento para fazer trocas. “Hoje está vazio em todo canto do comércio. Aproveitei que estava fazendo exame em uma clínica para passar aqui e fazer a troca de um produto”, comentou a trabalhadora do lar, Gilvanice Gomes.

Na loja de calçados Casa Pio, a circulação foi bem abaixo do normal. Segundo representantes do estabelecimento, o gerente dispensou funcionários ao longo do dia, já que não tinha venda para ser feita. E a situação foi a mesma nas Lojas Americanas do bairro da Encruzilhada. De acordo com um representante da loja, o estabelecimento não teve prejuízo porcausa do esforço da equipe.

Veja também

Meta, dona do Facebook, lança nova política de privacidade
TECNOLOGIA

Meta, dona do Facebook, lança nova política de privacidade

Apple vai aumentar salário mínimo pago nos EUA em meio a escassez de trabalhadores
Estados Unidos

Apple vai aumentar salário mínimo pago nos EUA em meio a escassez de trabalhadores