Movimento sindical e CNT comemoram saída de Parente

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) afirmou, em seu site, que a queda de Pedro Parente demonstraria a vitória dos petroleiros, que suspenderam a greve nessa quinta-feira (31)

José Maria Rangel, presidente da FUPJosé Maria Rangel, presidente da FUP - Foto: Reprodução/Facebook

As duas maiores centrais sindicais do país comemoraram nesta sexta-feira (1º) o pedido de demissão de Pedro Parente da presidência da Petrobras. Em nota, a Força Sindical afirmou que “a saída do presidente da Petrobras, Pedro Parente, só trará benefícios para a sociedade brasileira”. Segundo a central, Parente “prejudicava a classe trabalhadora”.

Já a Central Única dos Trabalhadores (CUT) afirmou, em seu site, que a queda de Pedro Parente demonstraria a vitória dos petroleiros, que suspenderam a greve nessa quinta-feira (31). Para os sindicatos e federações ligados à CUT, Parente foi o “responsável pelo caos que se instalou no país com a paralisação dos caminhoneiros”.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), que defendeu em greve a substituição de Parente, disse ter visto com “alívio” o pedido de demissão, segundo o coordenador da entidade no Rio de Janeiro, José Maria Rangel. Ele defendeu mudanças na política de preços por considerá-la danosa ao país. Segundo ele, não adianta a Petrobras ter lucro bilionário, enquanto os brasileiros pagam caro pelos combustíveis. Rangel lembrou que o Brasil tem importado óleo diesel dos Estados Unidos, enquanto as refinarias do país estão ociosas.

Leia também
'Já vai tarde', diz líder de petroleiros sobre demissão de Pedro Parente
Conselho indica Ivan Monteiro para presidir Petrobras interinamente
Ações da Petrobras reabrem despencando mais de 14%

O presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), Felipe Coutinho, também avaliou que a política de preços baseada no mercado internacional é prejudicial não só à população brasileira, mas também ao governo e até à própria Petrobras. Coutinho afirmou ser preciso acompanhar as últimas medidas do governo sobre o diesel para ver se não há risco de continuarem, na sua avaliação, a favorecer importadores.

Empresários
A Confederação Nacional do Transporte (CNT), que representa os empresários do setor, divulgou nota em que considera “muito positiva” a demissão de Pedro Parente da presidência da Petrobras. “Parente foi o maior responsável pela crise que o Brasil enfrentou com a greve dos caminhoneiros. Nada justifica os preços abusivos do diesel praticados pela empresa nos últimos meses”, afirma o presidente da CNT, Clésio Andrade.

Já o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, lamentou a saída de Pedro Parente. Em nota, ele destacou que a empresa teve uma valorização de mercado de R$ 200 bilhões durante a gestão de Parente, que "trouxe esperança para o mercado de petróleo e gás". Ele disse ainda esperar que o próximo gestor dê continuidade à retomada da recuperação da Petrobras.

Veja também

Pernambuco sofrerá perdas econômicas durante o período junino
São João

Pernambuco sofrerá perdas econômicas durante período junino

Auxílio Emergencial: nascidos em abril podem sacar 3ª parcela
Economia

Auxílio Emergencial: nascidos em abril podem sacar 3ª parcela