MPF pede que Wajngarten responda por improbidade por campanha 'O Brasil não pode parar'

O pedido vai agora para análise da Procuradoria da República do Distrito Federal

Secretário especial de Comunicação Social, Fabio WajngartenSecretário especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) do Ministério Público Federal e o Ministério Público de Contas de São Paulo solicitam que o secretário especial de Comunicação Social do governo Jair Bolsonaro, Fabio Wajngarten, responda na Justiça por atos de improbidade administrativa.

O pedido vai agora para análise da Procuradoria da República do Distrito Federal.

O motivo da ação é a veiculação da campanha "O Brasil não pode parar", do governo federal, que estimula as pessoas a voltarem a trabalhar e a circular nas ruas, o que é expressamente desencorajado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e pelas autoridades sanitárias brasileiras em meio à pandemia do novo coronavírus.

Leia também:
Bolsonaro já teve ao menos 8 falas e atitudes em desacordo com medidas de combate ao coronavírus
Presidente da Argentina critica Bolsonaro e diz que Brasil pode repetir caminho da Itália


Segundo a ação proposta pela Procuradoria, a propaganda deslegitima medidas de preservação da vida e da integridade física dos brasileiros ao incentivar movimento contrário ao isolamento social como forma de conter a crise.

Na visão dos procuradores, a campanha colocou em risco os brasileiros que a assistiram e gerou desconforto para os governadores que têm defendido a política de isolamento da população. Na esteira da propaganda, argumenta o documento, diversos protestos contra as medidas de isolamento foram convocados no país.

Em meio à crise do coronavírus, a pasta de Wajngarten contratou, por R$ 4,8 milhões e sem licitação, uma nova agência de comunicação para tocar as mídias sociais do governo.

Uma das principais atribuições iniciais da IComunicação Integrada foi a de produzir a campanha "O Brasil não pode parar".

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Ministro da Ciência promete US$ 100 milhões na cota de isenção para destravar pesquisa
INVESTIMENTO

Ministro da Ciência promete US$ 100 milhões na cota de isenção para destravar pesquisa

Amazon é multada em 746 milhões de euros por não proteger dados
Tecnologia

Amazon é multada em 746 milhões de euros por não proteger dados