Na pandemia, aeroporto do Recife se consolida como centro logístico

Aeroporto da Capital pernambucana recebe insumos e equipamentos que são distribuídos em várias cidades do Nordeste

Chegada de respiradores ao Aeroporto do RecifeChegada de respiradores ao Aeroporto do Recife - Foto: Divulgação

O Aeroporto Internacional do Recife Guararapes - Gilberto Freyre, administrado pela Aena Brasil, reafirma sua posição como centro logístico do Nordeste brasileiro nas ações de combate à pandemia do novo coronavírus.

Neste mês de maio, o número de voos cargueiros terá aumento de 63% em comparação ao mesmo período de 2019. Parte relevante desse crescimento se deve ao transporte de insumos relacionados aos trabalhos de prevenção e tratamento da covid-19.

Esse mês, já estão confirmados 238 voos exclusivos de carga para o Aeroporto do Recife, contra 162 operações em abril, o que representa um aumento de 47%. Em maio do ano passado, foram registrados 146 voos de carga.

As transportadoras confirmam o aumento significativo nos últimos dois meses no transporte de equipamentos de proteção individual (EPIs), medicamentos e aparelhos para hospitais.

Leia também:
Aeroporto do Recife é destaque em premiação internacional
Novo normal vai exigir chegar mais cedo ao aeroporto, diz associação internacional de aéreas


De acordo com a Azul Linhas Aéreas, já passaram mais de seis mil toneladas de carga pelo aeroporto da Capital pernambucana em aviões da companhia entre o início da pandemia e o dia 15 deste mês.

A maior parte desses materiais veio de Santa Catarina e São Paulo e os principais destinos, além de Pernambuco, foram Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba e Pará. O terminal recifense é hoje o segundo principal no segmento cargueiro para a companhia aérea, ficando atrás apenas de Viracopos, localizado em Campinas, interior de São Paulo.

Localizado na Zona Sul da Capital pernambucana, o Aeroporto Internacional do Recife conta, ainda, com pelo menos um voo diário de transporte de material biológico, incluindo amostras de sangue para testagem para o novo coronavírus.

As operações de carga do terminal atendem a todo o Nordeste pelo fato de ser considerado um hub de carga aérea da região. Atualmente, muitos dos carregamentos ligados ao combate à pandemia seguiram para estados vizinhos, como Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A região tem a facilidade de concentrar os seis aeroportos da Aena Brasil: Recife, Aracaju, Campina Grande, João Pessoa, Juazeiro do Norte e Maceió. Juntos, eles representam 64% do volume de carga (toneladas) transportada em todo o Nordeste e 62% de todos os voos (partidas e decolagens) da região.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Mercedes mostra foto do seu novo sedã elétrico; confira
FMOTORS

Mercedes mostra foto do seu novo sedã elétrico; confira

Banco Central avança nas discussões para a criação da moeda digital brasileira
REAL DIGITAL

Banco Central avança nas discussões para a criação da moeda digital brasileira