Na turbulência, analistas recomendam manter investimentos

Conselho para os investidores é resumido em uma sentença: não faça nada

DinheiroDinheiro - Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Na turbulência após as denúncias contra o presidente Michel Temer, o conselho para os investidores é resumido em uma sentença: não faça nada.

Desfazer-se de investimentos com medo de perder dinheiro pode levar a um prejuízo difícil de ser recuperado. Da mesma forma, novas aplicações podem ser arriscadas, já que não é possível prever os desdobramentos da crise.

Mesmo que se mantenha no poder, Temer terá ainda mais dificuldades de aprovar no Congresso as reformas trabalhista e da Previdência.

Impopulares, elas são consideradas essenciais pelo mercado financeiro para a manutenção dos investimentos no país.

Na dúvida, grandes investidores preferem sair de aplicações arriscadas, como ações, e migrar os recursos para ativos mais seguros, como os títulos públicos, levando a oscilações bruscas no mercado.

A Bolsa despencou 9% na quinta-feira (18), enquanto o dólar avançou 8%. No dia seguinte, as perdas foram amenizadas, mas não é possível prever a direção do mercado.

Também houve alteração na expectativa para a taxa Selic. Sem reformas, há dúvidas de que o juro básico cairá dos atuais 11,25% para os 8,50% previstos para o final do ano. Isso faz com que os títulos se desvalorizem.

Por isso, quem aplica em renda fixa também tem a sensação de que está perdendo dinheiro. No entanto, quem mantém o investimento até o vencimento não perde dinheiro.

Veja também

Equipe de Guedes quer novo programa social dentro do teto de gastos
Economia

Equipe de Guedes quer novo programa social dentro do teto de gastos

Guedes diz que auxílio emergencial pode voltar se vacinação fracassar, mas exigirá sacrifícios
Extensão do auxílio

Guedes diz que auxílio emergencial pode voltar se vacinação fracassar, mas exigirá sacrifícios