Petróleo

Negócio de US$ 26 bi cria gigante de petróleo na Bacia Permiana, a maior bacia de xisto do mundo

Americana Diamondback acerta compra da Endeavor em mais uma transação na região dos EUA que se tornou aposta na produção de combustíveis fósseis

Campo petrolíferoCampo petrolífero - Foto: drpepperscott230/Pixabay

A americana Diamondback Energy acertou a compra da produtora de petróleo e gás Endeavor Energy Resources por US$ 26 bilhões para criar uma gigante de petróleo na Bacia Permiana, nos EUA, a maior bacia de xisto do mundo. Juntas, as duas empresas, que são sediadas no Texas, valem US$ 50 bilhões, segundo o Wall Street Journal.

A transação envolve dinheiro e troca de ações. Dos US$ 26 bilhões, US$ 8 bilhões serão em dinheiro. Após a conclusão do negócio, os acionistas da Diamondback deterão 60,5% da Endeavour, e os acionistas desta deterão o restante. A Endeavour não é negociada em Bolsa.

O acordo é o mais recente de uma série de grandes negócios que estão transformando o cenário energético dos Estados Unidos e cria a terceira maior produtora da Bacia Permiana.

Nos últimos quatro meses, a Exxon Mobil fechou um acordo para comprar a Pioneer Resources por cerca de US$ 60 bilhões; a Chevron comprou a Hess por cerca de US$ 53 bilhões; e a Occidental Petroleum concordou em comprar a CrownRock por cerca de US$ 10,8 bilhões. Todas as operações têm como foco a Bacia Permiana.

A consolidação marca o amadurecimento do setor de xisto no país, que era muito fragmentado e que tradicionalmente tinha poucas empresas de grande porte, devido a dificuldades para atrair os principais investidores.

A aquisição da Endeavor é um grande negócio da Diamondback, que deixou concorrentes para trás. A empresa, fundada pelo pioneiro da indústria do xisto Autry Stephens, é uma das últimas produtoras de capital fechado remanescentes na Bacia de Permiana. Ela também atraiu o interesse de Exxon, Chevron e ConocoPhillips.

Os ativos da Diamondback e da Endeavor se complementam muito bem, abrindo caminho para que a empresa combinada produza petróleo bruto de forma mais eficiente, disse Dan Pickering, que é fundador e diretor de investimentos da Pickering Energy Partners e ajudou a financiar a revolução do xisto.

As duas empresas, com sede em frente uma da outra em Midland, o coração de Permiana, terão uma produção de 816.000 barris de óleo equivalente por dia, de acordo com o comunicado.

A compra é um movimento defensivo para a Diamondback, pois coloca a empresa em uma posição melhor para sobreviver à onda de fusões em andamento como operadora independente, de acordo com a Bloomberg Intelligence.

O acordo, que inclui a dívida líquida da Endeavor, foi aprovado pela diretoria da Diamondback. A empresa financiará a parte em dinheiro por meio de uma combinação de dinheiro em caixa, crédito e títulos. A Diamondback espera que o negócio seja fechado no quarto trimestre deste ano.

A Bacia Permiana, que abrange o oeste do Texas e o Novo México, é a maior bacia de xisto do mundo, hidrocarboneto também usado para produzir combustíveis, assim como o petróleo. E é apontada como fundamental para o crescimento da produção de petróleo nos EUA.

A produção do país atingiu um recorde no ano passado - superando a Arábia Saudita em cerca de 45% - graças, em grande parte, aos poços na Permiana que podem ser perfurados e fraturados de forma mais barata e rápida do que em muitas outras regiões.

O petróleo continua sendo muito procurado em todo o mundo, apesar dos esforços para abandoná-lo, e espera-se que o consumo aumente até 2030 - e talvez mais além.

Veja também

Emprego com carteira no setor privado aumenta em 335 mil vagas em um trimestre, aponta IBGE
BRASIL

Emprego com carteira no setor privado aumenta em 335 mil vagas em um trimestre, aponta IBGE

Haddad defende, em discurso presencial no G20, a taxação dos mais ricos
ECONOMIA

Haddad defende, em discurso presencial no G20, a taxação dos mais ricos