Nem o Natal salvará o comércio?

Queda nas vendas deverá ser de 1,8%, mas a esperança é a última que morre. Varejo começa a se vestir para o período

Raul Henry, Paulo Rabello de Castro e Paulo CâmaraRaul Henry, Paulo Rabello de Castro e Paulo Câmara - Foto: Ennio Benning/SEI

Pelo Centro do Recife, a impressão é de que, neste ano, o Natal será de vacas magras. Em algumas lojas não há sequer sinal de que a data do bom velhinho esteja se aproximando. Nos comércios onde os pisca-piscas já iluminam os corredores, apesar da esperança de vender bem, o investimento na oferta de artigos natalinos será menor do que o visto nas prateleiras em 2015. “Se conseguirmos atingir o mesmo nível de vendas do ano passado, já consideramos uma vitória para o nosso setor”, comenta, quase que em súplica, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife, Eduardo Catão. Para seu desalento, por enquanto, a estimativa da Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas não é nada agradável ao fluxo de caixa: retração de 1,8%.
E é nesse realismo negativo que Severino Manoel, gerente de uma loja de calçados - um dos setores que mais se beneficiam com as vendas neste período -, está iniciando o período de fim de ano. “Sinceramente, diante desse movimento fraco que estamos amargando ao longo de todo ano, não espero uma realidade diferente por conta do fim do ano. Até hoje, trabalho com uma estimativa de recuo de 30% no volume das minhas vendas no período”, afirma o comerciante.
Mais otimista, Lucilene Sobral, comerciante da Rua das Calçadas, no bairro de São José, já começou a mudar a cara da sua loja. Trocou o Dia das Crianças pelo Natal, embora saiba que vender não será um ofício fácil. “Neste ano, pretendemos repetir as vendas do ano passado. Diferentemente de outras lojas aqui, desde o começo deste mês já começamos a produzir a loja com artigos natalinos”, afirma, confiante.

Supermercados
Enquanto que nas ruas o sentimento não é animador, os supermercados seguem movimento oposto. Para eles, a estimativa é um crescimento de 0,7% nas vendas, em relação a 2015. A dois meses do Natal, o cenário já começa a se compor em várias lojas da Cidade. Nas redes de lojas do Bompreço e Hiper Bompreço, é possível encontrar um sortimento de cerca de 250 itens de enfeites natalinos e artigos temáticos de cama, mesa e banho, além da primeira fornada dos panetones. No Extra e Pão de Açúcar, as gôndolas também estão recheadas com os pães típicos da época. Por lá, a expectativa é vender na linha 10% a mais do que em 2015. Além de panetones, o Carrefour traz, a partir de dezembro, opções de kits para ceia natalina.

Shoppings
Como estratégia para atrair um público maior aos centros de compras, alguns shoppings estão antecipando a montagem da decoração de Natal. Com o mote “Natal Shopping Difusora: um Shopping de presente pra Você”, o centro de compras, localizado em Caruaru, já está todo decorado para a data e com diversas apresentações culturais, oficinas, além de sorteio de dois carros zero quilômetro.
Nos shoppings Boa Vista e Guararapes, a partir desta sexta, será possível se vislumbrar pela estreia do décor natalino do mall. No primeiro, em detrimento das novas atrações, a expectativa de incremento no período é de 10% no fluxo de clientes frente o ano anterior. Já no Guararapes, há expectativa tanto de crescimento nas vendas quanto no fluxo de clientes, em torno de 5%. Para o momento, o mall investiu R$ 1,5 milhão para dar “vida” ao Natal Família Urso, temática desta edição. Apesar de já ser possível verificar o andamento da montagem, o Shopping RioMar não quis se pronunciar sobre a inauguração da atração. No Recife, a tradição se mantém fiel ao planejamento dos últimos anos e a abertura do Natal do mall será no dia 6 de novembro, primeiro domingo do mês. Apesar de já ser possível visualizar o andamento avançado da montagem da decoração, o RioMar não quis se pronunciar sobre o tema.

Veja também

Pix terá serviço de cobrança semelhante a boleto
pix

Pix terá serviço de cobrança semelhante a boleto

Bolsa reage e volta a subir após quatro sessões de queda
BOLSA DE VALORES

Bolsa reage e volta a subir após quatro sessões de queda