A-A+

Novas cargas na rota da Agrovia

Terminal instalado no Porto de Suape, movimentará agora milho, cevada e trigo. Atualmente, empresa já armazena açúcar

Diretor da Agrovia do Nordeste, João GualbertoDiretor da Agrovia do Nordeste, João Gualberto - Foto: Divulgação

A partir de agora o Terminal da Agrovia do Nordeste, localizado no Porto de Suape, está liberado para movimentar novas cargas. O empreendimento que armazena apenas o açúcar refinado proveniente das usinas canavieiras do Estado, passará a movimentar outros grãos, como o trigo e o milho. Além disso, a empresa, braço da Odebrecht Transport, já projeta investimento futuro de R$ 79 milhões em equipamentos de armazenamento dos produtos.

Ontem, foi publicado no Diário Oficial da União a liberação para as novas operações. Como descrito no texto da gestão federal, está assinada a “autorização para movimentação além de açúcar, de outros graneis sólidos de origem vegetal, bem como fertilizantes”. O aditivo foi assinado pelo Ministério dos Transportes, pela Antaq e pelo Porto de Suape.

Com essa liberação, o terminal vai focar, inicialmente, na importação de milho, cevada e trigo. De acordo com o diretor da Agrovia, João Gualberto, desde a concepção e estruturação do projeto do terminal, já estava previsto a diversificação de cargas. “Com a autorização, podemos iniciar imediatamente a movimentação de novas cargas. Estamos em contato com potenciais clientes”, informou Gualberto, ao complementar que o cronograma de implantação da nova fase está em desenvolvimento. Ou seja, ainda não há data marcada para começar as novas movimentações porque a Agrovia está em negociação com as empresas que fazem as rotas.

Leia também:
Suape: recuperar a autonomia é desafio
Suape mira terminal de minério de ferro
Suape avança para construir térmica a gás

Ainda segundo a Agrovia, a expectativa é que no futuro sejam investidos R$ 79 milhões para implantação de novos silos (estrutura de armazenamento) com capacidade total de 30 mil toneladas e equipamentos destinados à movimentação de grãos e cereais.

Para Gualberto, a autorização é extremamente estratégica para a Agrovia que ganha um novo posicionamento como um terminal multicargas. “A safra de açúcar está restrita a alguns meses do ano, por isso, o terminal tem um potencial que agora poderá ser explorado plenamente”, informou o diretor.

Para o presidente do Porto de Suape, Carlos Vilar, essa liberação é importante. “Diversifica o perfil da carga. Agora, a Agrovia vai poder ir pro mercado atrás de novos perfis”, destacou Vilar. Na semana passada, o segundo termo aditivo de autorização das operações foi assinado pelo Porto de Suape, pela Agrovia e pela Antaq. Faltava apenas o Ministério dos Transportes, que assinou alguns dias depois.

Balanço

Em 2017, o terminal recebeu cinco navios e movimentou 51.569 toneladas de açúcar. Além disso, recebeu 2.718 caminhões e armazenou 60.720 toneladas do produto. O terminal permitiu reduzir o tempo de embarque do açúcar ao receber navios de maior porte, com capacidade para açúcar encasacado e 70 mil toneladas para outros granéis, o dobro dos navios anteriores

Veja também

Brasil: 56,4% das dívidas dos inadimplentes são pagas em até 60 dias
Contas

Brasil: 56,4% das dívidas dos inadimplentes são pagas em até 60 dias

Vale perde posto de empresa mais valiosa da América Latina para Mercado Livre
Mercado

Vale perde posto de empresa mais valiosa da América Latina para Mercado Livre