A-A+

Novo serviço do Serasa checa informações pessoais vazadas na internet

Brasil é o quinto país com mais vazamentos de informações no mundo

O termo 'Dark Web' remete ao lado mais profundo da web, onde os sites de buscas não conseguem registrar rastros.O termo 'Dark Web' remete ao lado mais profundo da web, onde os sites de buscas não conseguem registrar rastros. - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Verificar a segurança dos dados pessoais que podem vazar na internet não é uma preocupação comum entre os brasileiros. Pesquisa realizada pelo Serasa explica que 91% dos consumidores não conhecem nenhuma forma de checar se suas informações estão sendo exibidas de maneira indesejável na internet, mas ressalta que mudar esse comportamento é essencial. Afinal, o Brasil é o quinto país com mais vazamentos de informações no mundo. Somente em outubro de 2018, mais de 500 milhões de contas de e-mail ficaram expostas na internet.

Diante disso, o Serasa lançou um serviço para ajudar os brasileiros a verificar se suas informações pessoais estão circulando na 'Dark Web'. Isto é, no lado mais profundo da internet, onde os sites de buscas não conseguem registrar rastros e, por isso, ocorrem a maior parte dos crimes virtuais. É nesta janela, conhecida por apenas 2% dos brasileiros, mas ainda mais profunda do que a 'Deep Web', onde as pessoas agem sem qualquer tipo de fiscalização, que ocorrem, portanto, estelionatos, golpes de cartões de crédito e roubo de informações pessoais, além da divulgação de conteúdos ilícitos como aqueles relacionados a drogas, armas e pornografias.

Chamado de Serasa Antifraude, o serviço está disponível no site do Serasa e oferece duas formas de o usuário se prevenir e não ter suas informações roubadas: uma opção gratuita e outra paga. Na versão gratuita, o cliente consegue detectar se seu e-mail consta na 'Dark Web'. E o Serasa garante que essa é uma informação importante, por conta dos dados que hoje estão embutidos no e-mail.

Leia também: 
Protocolo que deu a cara da internet, World Wide Web chega aos 30 anos
Reino Unido planeja regular conteúdo nocivo na internet
Milhões de dados de usuários do Facebook são expostos na internet

“A partir do momento que alguém tem acesso ao seu e-mail, ela pode ir além e conseguir outros dados pessoais, como senhas de bancos, dados cadastrais e informações confidenciais”, explica o gerente do Serasa Consumidor, Matheus Moura.

Já na versão paga, cujo plano mensal custa R$14,16, é possível acompanhar seu extrato bancário, cancelar rapidamente seus cartões e substituir senhas por outras mais eficientes e exclusivas. “A ideia é que a gente consiga cada vez mais monitorar outros serviços, como contas bancárias e cartões de crédito”, explicou Moura, dizendo é importante manter esse controle porque o aumento do uso da internet pelo celular também intensificou o volume de informações pessoais disponíveis na rede. “Conseguir dados na internet é cada vez mais fácil. São tantos serviços que usamos diariamente que a gente nunca sabe exatamente o nível de segurança de uma empresa, para nos proteger, em caso de ataques”, disse.

Por conta disso, o setor pago do Serasa Antifraude ainda monitora em tempo real se existe alguém usando seus dados em algum tipo de fraude. Mas basta abrir a página do serviço para perceber o tamanho do risco. Na área gratuita, já é possível visualizar a quantidade de dados que são vazados em tempo real no País. E a velocidade é assustadora: em cerca de dez segundos, são quase mil.

Segundo o Serasa, isso acontece porque apenas 4% dos brasileiros não salva nenhuma senha, informação pessoal ou financeira na internet. Os criminosos aproveitam a vulnerabilidade dos demais, portanto, para roubar dados confidenciais. E é por isso que o Brasil possui 43% mais chances de sofrer uma violação de dados do que outros países.

Para afastar esse risco, contudo, 200 mil pessoas já estão utilizando a versão paga do Serasa Antifraude. A ideia é que, até o início do próximo ano, mais de 500 mil pessoas se tornem clientes desse serviço.

Veja também

Estatais de Exército e Marinha são excluídas de auditoria sobre pagamentos de R$ 44 mi acima do teto
Governo

Estatais de Exército e Marinha são excluídas de auditoria sobre pagamentos de R$ 44 mi acima do teto

Com faturamento de R$ 41 bi, mercado pet já vende mais que linha branca
Economia

Com faturamento de R$ 41 bi, mercado pet já vende mais que linha branca