Número de empresas no País cresce 13,6% em 2017

Resultado foi alavancado pelos microempreendedores individuais

Microempreendedor IndividualMicroempreendedor Individual - Foto: Divulgação

O número de novas empresas cresceu 13,6% em todo o Brasil em 2017, em comparação com o ano anterior. O levantamento da Boa Vista SCPC apontou que, apesar da elevação no ano, ,de outubro a dezembro, o número de novas empresas sofreu uma queda de 2,2% em relação aos meses de julho a setembro. Os setores que mais incentivaram a alta das empresas no ano anterior foram os microempreendedores individuais (MEIs).

A classificação foi feita de forma jurídica, a partir das novas empresas registradas na Receita Federal. A variação acumulada no ano mostrou que os microempreendedores individuais (MEIs) cresceram 19,1% em 2017, mantendo o seu papel de destaque, enquanto as microempresas apresentaram uma variação de 6,8% no ano.

Em termos de composição, no resultado acumulado do ano, os MEIs representam 75,5% das empresas, enquanto as micros equivalem a 16,8% do total. As demais categorias de empresas correspondem a um percentual de 7,8%.

Leia também:
Microempreendedor leva a rombo no INSS, diz estudo
Sebrae e parlamentares querem derrubar veto ao Refis de micro e pequena empresa

Na análise da composição das novas empresas por setores, o levantamento mostrou que o setor de serviços atingiu 55,9% de representatividade, registrando um aumento de 0,3% em relação ao ano anterior. O comércio teve um crescimento de 35,1% na participação, sendo maior que em 2016, que marcou 33,8%. O setor Industrial apresentou uma queda em relação ao ano de 2016, passando de 9,9% para 7,9% em 2017.

A região Nordeste representou um aumento para as novas empresas, sendo registrado um avanço de 10,2% no número de novos negócios nos valores acumulados para 2017. As regiões Centro-Oeste e Sul, foram as que mais cresceram no ano, sendo um aumento de 18,6% e 17,1% respectivamente.

Veja também

Veja os números da Mega-Sena de R$ 32 milhões
Loterias

Veja os números da Mega-Sena de R$ 32 milhões

Retomada surpreende shoppings, que veem mais concorrência com comércio eletrônico
Comércio

Retomada surpreende shoppings, que veem mais concorrência com comércio eletrônico