Impostos

O desafio da carga tributária no País é tema do "Dia sem imposto" da Fiepe

A Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco vai realizar, na próxima quarta-feira a 5ª edição do Dia sem Imposto para mostrar como seria comprar produtos sem os tributos

Dia Sem Imposto da FiepeDia Sem Imposto da Fiepe - Foto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco

Uma elevada carga tributária. Assim é que podemos definir o mercado brasileiro. Para mostrar ao consumidor como seria diferente as compras de produtos sem os tributos, a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe) realiza a 5ª edição do Dia sem Imposto, na próxima quarta-feira (25). A ação tem o objetivo de sensibilizar a sociedade sobre o impacto dos tributos, por meio de exposição de produtos sem impostos, palestras gratuitas sobre gestão financeira e tributária, entre outras atividades.

Em um levantamento feito nos últimos anos, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta que a maioria dos empresários brasileiros reprova o atual sistema tributário, sendo o número de tributos um dos maiores gargalos. Para eles, o ICMS é o tributo que causa maior impacto negativo sobre a competitividade, seguido do PIS/COFINS e das tributações previdenciárias (INSS), que figuraram empatados no segundo lugar.

“A carga atual é complexa, não conseguimos entender o quanto paga. É algo na saída, na entrada do produto, paga duplicado, e o pior de tudo é que não é transparente. Prezamos por uma reforma para desburocratizar e deixar menos complexo”, disse o economista da Fiepe, Cézar Andrade.

Já de acordo com uma pesquisa recente da Associação Comercial de São Paulo, para os brasileiros, o maior problema em destinar quase 50% dos rendimentos colhidos no ano para o pagamento de tributos não é apenas o alto valor dos impostos, mas no fato de os investimentos não reverterem positivamente nos serviços de saúde, segurança, infraestrutura e educação.

Um passo importante para minimizar esses efeitos seria aprovar a reforma tributária. Juntamente com a Fiepe, a Confederação Nacional da Indústria, está atenta e defende que essa pauta avance para dar mais competitividade às empresas nacionais e incentivar o crescimento da economia de forma mais sustentável. “O que produzimos aqui fica mais caro, logo para implantar um negócio aqui também se torna mais dispendioso. A nossa defesa é que tenhamos um sistema tributário que preserve o equilíbrio na concorrência e estimule as vocações do nosso País”, acredita o coordenador do Fiepe Jovem, Rodrigo Veloso.

Dia sem imposto
A 5º edição do Dia Sem Imposto da Federação das Indústrias em Pernambuco (Fiepe) acontece na próxima quarta-feira (25), na Casa da Indústria, em Santo Amaro, a partir das 15h. Comercialização de comidas e bebidas com desconto equivalente aos seus impostos e palestras, estão entre as atividades.

O evento será gratuito, aberto ao público e as inscrições podem ser feitas no site fiepe.org.br. Para quem estiver no interior do Estado e fizer a inscrição pela plataforma, as palestras poderão ser conferidas de forma on-line.

“Promovemos esse evento para conscientizar a alta carga que pagamos nos produtos. Montamos um mercadinho para mostrar o preço dos produtos sem imposto, além de palestras. Teremos sorteios e um food park vendendo lanches sem imposto. A ideia é conscientizar as pessoas”, contou o economista da Fiepe, Cezar Andrade.

Entre os palestrantes, estão a Head comercial do Coorporate Unique junto a XP Empresas: Soluções financeiras e investimentos, Tessia Araújo; Davi Cavalcanti; e o planejador financeiro, Arthur Lemos. 

Para os que participarem das palestras, terão a oportunidade de participarem de sorteios de um (1) IPad e três (3) Iphones 13, sendo um para compra com desconto equivalente à carga tributária do produto.  

Veja também

Em posse, nova presidente da Caixa diz que transformará a crise em 'grande oportunidade'
DECLARAÇÃO

Em posse, nova presidente da Caixa diz que transformará a crise em 'grande oportunidade'

Vendas de veículos novos crescem 0,22% no país
Carros

Vendas de veículos novos crescem 0,22% no país