Marketing Digital

O poder do Marketing nos comércios brasileiros

Segundo estudos do Cenp-Meios, os investimentos em publicidade no Brasil passaram dos R$19 bilhões no ano passado

Diogo Maia e Thalles Lins, da Raro DigitalDiogo Maia e Thalles Lins, da Raro Digital - Foto: Divulgação

Apesar de ter surgido na década de 60, junto com a chegada da internet, o Marketing Digital ainda é bastante subestimado. Estima-se que em 2021, o Marketing Digital chegou a 33,5% dos investimentos publicitários feitos pelas empresas, 6,8% a mais que o ano anterior. Ainda segundo as pesquisas do Cenp-Meios, produzidas pelo Cenp (Conselho Executivo das Normas-Padrão), o número de investimentos em publicidade do ano passado superou o da pré-pandemia, chegando a R$19,7 bilhões

De fato, o crescimento em investimentos no marketing digital, seja na produção de conteúdo, seja em performance (anúncios) tem sido fator relevante e diferencial para todo tipo de negócio “mostrar a cara” para o mercado, principalmente por conta do fácil acesso à internet e aos dispositivos móveis, que hoje são uma excelente ferramenta para veiculação de publicidade.

Em relação às redes sociais, há a previsão do Instagram ultrapassar a marca de 2 bilhões de usuários ativos e o TikTok já possui mais de 1 bilhão. Segundo o portal Oberlo, o Google processa mais de 8,5 bilhões de pesquisas por dia. No mercado de mecanismos de busca, o Google leva uma fatia de 91,9% do mercado mundial e sendo apenas nos Estados Unidos, 63% do tráfego de pesquisa orgânica são processadas por dispositivos móveis. 

Se por um lado, há uma crescente enorme por parte de grandes negócios em investir em Agências de Marketing Digital e os números espantosos em relação aos usuários de redes sociais, por que ainda escutamos tantos pequenos e micro negócios decidindo parar o investimento em marketing por um determinado tempo ou até mesmo não investir? 

“Acreditamos, basicamente, em duas hipóteses: a primeira, a empresa pode não ter maturidade suficiente para entender que marketing é um grande aliado da equipe de vendas; e a segunda, a empresa não está preparada de forma organizada para ter a consciência de que precisa investir. Em outras palavras, não reserva um budget específico do faturamento para marketing. Parar o investimento nesta área para economizar dinheiro é o mesmo que parar o relógio para economizar tempo”, afirma Diogo Maia.

É por isso que, no meio do caminho, algumas empresas que começam a investir podem terminar parando esse tipo de trabalho para fazer por conta própria ou até mesmo não fazer mais por um tempo. “O que a gente sempre conversa com nossos clientes é que damos o caminho para ajudar a vender mais, através de estratégias consolidadas para cada tipo de negócio. É aí que vamos criando a consciência no empreendedor”, argumenta Thalles Lins, também sócio da Raro Digital.

“Entendemos que empreender no Brasil não é fácil. Mas precisamos despertar a consciência do empreendedor sobre a importância do seu negócio existir no digital para ser visto. Trabalhamos sempre com a máxima de quem não é visto não é lembrado”, finaliza Diogo Maia.

Veja também

Medida Provisória abre novo crédito extraordinário de R$ 1,253 bilhão para ações no RS
RIO GRANDE DO SUL

Medida Provisória abre novo crédito extraordinário de R$ 1,253 bilhão para ações no RS

Ministério da Agricultura confirma foco de doença de Newcastle em frangos no Rio Grande do Sul
BRASIL

Ministério da Agricultura confirma foco de doença de Newcastle em frangos no Rio Grande do Sul

Newsletter