Padilha defende nova fonte de financiamento para a Previdência

Segundo o ministro, novos recursos serão necessários para não “estrangular” investimentos na área social.

Ministro da Casa Civil, Eliseu PadilhaMinistro da Casa Civil, Eliseu Padilha - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse nesta quarta (15) à comissão especial da Câmara que analisa a reforma da Previdência que, mesmo se as mudanças propostas forem aprovadas, o setor vai precisar de uma nova fonte de financiamento a partir de 2026.

Segundo Padilha, novos recursos serão necessários para não “estrangular” investimentos na área social.

O ministro participou nesta quarta-feira da primeira audiência pública da comissão especial que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, da reforma da Previdência. Por cerca de meia hora, Padilha fez uma apresentação da proposta aos deputados e mostrou dados sobre o déficit da previdência, ajuste fiscal e a necessidade da reforma no setor.

Após a apresentação do ministro da Casa Civil, o secretário nacional da Previdência, Marcelo Caetano, fez um pronunciamento e passou a responder perguntas dos deputados que integram a comissão.

Veja também

Fretamento aéreo vive seu pior momento em Manaus
Amazonas

Fretamento aéreo vive seu pior momento em Manaus

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego
Economia

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego