Economia

Pagamento de impostos adiados faz arrecadação avançar 9,5% em outubro

Receita administrada foi de R$ 146 bilhões em outubro

DinheiroDinheiro - Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

A arrecadação federal teve crescimento real de 9,5% em outubro na comparação com o mesmo mês de um ano antes, para R$ 153,9 bilhões. O avanço foi impulsionado pelo pagamento de tributos adiados durante a pandemia e, caso esse efeito fosse desconsiderado, haveria uma queda nos números.
 
A chamada receita administrada (que computa os ganhos com tributos, excetuando valores como aqueles obtidos com royalties de petróleo) foi de R$ 146 bilhões em outubro (avanço de 12,3% contra um ano antes). Desse montante, R$ 16,2 bilhões foram pagamentos de impostos adiados nos meses anteriores.
 
Retirando o valor obtido com tributos adiados, o valor das administradas cairia para R$ 129,8 bilhões em outubro. Isso representaria uma queda real de 0,18% na comparação com igual mês de um ano antes. O resultado total da arrecadação no mês também sofreria retração real, de 2% na mesma comparação.
 
Já a receita administrada por outros órgãos (onde entram fatores como exploração de recursos naturais e royalties de petróleo, por exemplo) foi de R$ 7,8 bilhões em outubro. O valor representa uma queda real de 24,6% em relação a um ano antes.
 
Os números sofrem efeito também do corte a zero do IOF aplicado sobre crédito, medida adotada durante a pandemia para baratear o custo dos empréstimos.
 
Considerando todos os efeitos, o avanço percentual da arrecadação em outubro é a maior já registrada do ano e a terceira variação positiva seguida. O valor obtido é o maior para o mês em quatro anos.


De janeiro a outubro, o governo registrou uma arrecadação de R$ 1,18 trilhão. O valor representa uma queda real de 9,45% em relação a igual período de um ano atrás e o menor valor obtido em 11 anos.
 
A Receita Federal afirma que o resultado do período acumulado foi bastante influenciado pelos diversos diferimentos decorrentes da pandemia de coronavírus. Os diferimentos somaram, aproximadamente, R$ 48 bilhões no período.
 
As compensações cresceram 87% no mês de outubro de 2020 em relação a outubro de 2019 e também apresentaram crescimento de 57% no período acumulado.

Veja também

Quase 200 mil receberão novo lote do auxílio emergencial nesta quinta
Economia

Quase 200 mil receberão novo lote do auxílio emergencial nesta quinta

Estoque do Tesouro Direto cresce 5,13% em 2020, anuncia Ministério da Economia
Economia

Estoque do Tesouro Direto cresce 5,13% em 2020, anuncia Ministério da Economia