Papel de parede ganha destaque na decoração

Usado em qualquer tipo de ambiente, o revestimento conquista cada vez mais espaço

Deputada estadual Simone Santana (PSB)Deputada estadual Simone Santana (PSB) - Foto: Roberto Soares/Alepe

 

Antes só usado para compor a decoração dos quartos dos be­bês, o papel de parede vem ao longo das décadas se reinventando e se confirmando como parte integrante das tendências que norteiam o universo da decoração. Atualmente, é um dos itens mais utilizados quando a intenção é dar outra roupagem aos vários cenários, do residencial ao corporativo.

De acordo com o arquiteto André Carício, eles podem ser usados em qualquer ambiente, desde que sejam protegidos para não ter contato com água. “No lavabo da casa, por exemplo, podemos usá-lo sem problemas, desde que tomemos o cuidado de colocar um rodapé mais alto para protegê-lo na hora de lavar o piso”, explica.

Quando o assunto é sua aplicação nos quartos, a dica do arquiteto é sempre optar pelos produtos que remetam aos tecidos. “Gosto de usar um papel que tenha um aspecto de tecido, pois deixa o quarto ainda mais aconchegante e sofisticado. Esse mesmo papel pode estar em sintonia com a cor não só dos móveis, como também das cortinas ou do piso”, ressalta.

Segundo o profissional, que utiliza o revestimento na maioria dos seus projetos, em consequência da variedade de temas e cores disponíveis atualmente no mercado, o papel de parede acaba sendo um ótimo recurso para se gastar menos na hora de mudar o ambiente. A começar pela aplicação, que é rápida e limpa, a utilização desse tipo de revestimento torna a obra mais prática e com custo menor. “Perfeito para quem quer dar um aspecto sofisticado e com um desenho mais elaborado. Se quiser deixar uma parede como se fosse um painel de madeira, recorrendo ao papel, se tem o mesmo aspecto por um preço muito mais barato”, explica o especialista.

Proprietário da Livre Decor, loja pioneira no Recife no segmento, com 20 anos no mercado do revestimento, Humberto Marinho ressalta a versatilidade do produto disponível atualmente. “Hoje é possível encontrar uma variedade incrível da texturas, a exemplo das estampas digitais em 3D, que dão a ideia de volume ao espaço”, comenta o empresário. De acordo com ele, para modificar um espaço, a pessoa pode gastar, em média, cerca de R$ 350. “Vale salientar que nesse preço médio já se inclui o valor da mão de obra, destinado ao profissional que vai aplicar o papel”, pontua.

 

Veja também

Projeto que considera cadastro da mulher prioritário no auxílio emergencial vai à sanção
auxílio emergencial

Projeto que considera cadastro da mulher prioritário no auxílio emergencial vai à sanção

Bolsa encosta em 100 mil pontos e fecha no maior nível em quatro meses
BOLSA DE VALORES

Bolsa encosta em 100 mil pontos e fecha no maior nível em quatro meses