Paulo Guedes anuncia seis secretários da nova equipe econômica

Assessor da Casa Civil de Temer, Marcelo Guaranys foi confirmado como secretário-executivo do ministério da Economia

Paulo GuedesPaulo Guedes - Foto: Sergio Lima/AFP

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou neste sábado (8) o nome de seis secretários da equipe econômica do Governo Bolsonaro. Ele confirmou, por exemplo, Marcelo Guaranys, ex-diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), como secretário-executivo da super pasta da Economia.

Leia também:
Guedes terá seis secretarias especiais sob seu comando
Guedes cogita desistir de mudar lei do pré-sal
Bolsonaro pretende adiar cirurgia para ir a Davos
Bolsonaro deve migrar Comunicação para Secretaria de Governo


Servidor da carreira de Analista de Finanças e Controle do Tesouro Nacional, Guaranys é mestre em Direito Público pela Universidade de Brasília e é o atual Subchefe de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais da Casa Civil da Presidência da República.

Como secretário geral da Fazenda, o escolhido foi Waldery Rodrigues Júnior. Engenheiro formado pelo ITA, mestre e doutor em economia, Rodrigues Junior tem larga experiência no setor público. É pesquisador concursado pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e consultor do Senado Federal na área política econômica.

O atual ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago, será o secretário geral adjunto da Fazenda.

O secretário geral de Desburocratização, Gestão e Governo Digital será Paulo Uebel, ex-diretor executivo do Instituto Millenium, fundado por Guedes para promover o liberalismo econômico. Ele é especialista em direito tributário, financeiro e econômico. Foi secretário de Gestão da prefeitura de São Paulo e CEO Global do Lide - Grupo de Líderes Empresariais.

Servidor da carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental, Gleisson Cardoso Rubin será o novo secretário geral adjunto de Desburocratização, Gestão e Governo Digital. Atualmente, ele ocupa o cargo de secretário-executivo do Ministério do Planejamento.

O economista Carlos da Costa ocupará o cargo de secretário geral de Produtividade e Competitividade. Ele já foi diretor de Planejamento, Crédito e Tecnologia do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Antes disso, presidiu o Instituto de Performance e Liderança e foi sócio-diretor do Ibmec Educacional.

Veja também

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?
Tecnologia e games

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
Economia

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC