Pedágio vai ficar 4,08% mais caro

Automóveis, caminhonetes e furgões, com rodagem simples, terão os valores de R$ 5,70 em dias úteis e R$ 8,60 nos finais de semana

Rota dos CoqueirosRota dos Coqueiros - Foto: Divulgação

Os motoristas que usam a Rota dos Coqueiros para encurtar o caminho para o Litoral Sul devem preparar o bolso. É que, a partir de 14 de junho, as tarifas de pedágio da Concessionária serão reajustadas em 4,08%, índice equivalente ao IPCA dos últimos 12 meses. O aumento na taxa foi autorizado pela Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe) e previsto no contrato de concessão patrocinada da Parceria Público-Privada (PPP) que deu origem ao empreendimento.

A tarifa para motos passa a custar R$ 2,90 nos dias úteis e R$ 4,30 no final de semana. Já os automóveis, caminhonetes e furgões, com rodagem simples, terão os valores de R$ 5,70 em dias úteis e R$ 8,60 nos finais de semana.

A tarifa básica do final de semana é 50% superior ao valor dos dias úteis porque o estudo de viabilidade do projeto da rodovia considerou que a maioria dos usuários, nos finais de semana, tem como principal motivo o lazer, podendo optar pelo uso ou não da rodovia, ao contrário dos usuários em dias úteis, que têm como destino o trabalho, com restrições de opções.

A Concessionária Rota dos Coqueiros investiu nos últimos 12 meses R$ 1,2 milhão em obras de manutenção e conservação da rodovia, totalizando nos 10 anos de concessão, mais de R$ 181 milhões. A Concessionária Rota dos Coqueiros oferece o Serviço de Auxílio ao Usuário (SAU), 24 horas, que conta com o suporte de inspetores de tráfego, guinchos leve, ambulância com resgatistas e viaturas de inspeção de tráfego, que pode ser acionado pelo telefone de emergência 0800.281.0.281.

Veja também

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão
Restrições

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão

Honda suspende produção em Manaus por pandemia e falta de insumos
Negócios

Honda suspende produção em Manaus por pandemia e falta de insumos