A-A+

Pedidos de recuperação judicial caem 1,5% em 2019

O setor de serviços foi o que registrou maior volume de pedidos, com 598 solicitações, seguido de comércio, com 349, e indústria, 271

Cadastro positivoCadastro positivo - Foto: Folha de Pernambuco

Leia também

• Ministério da Saúde descarta suspeita de caso de coronavírus no Brasil

• Coronavírus já matou 26 pessoas; OMS mantém alerta permanente

• Wuhan terá em fevereiro hospital para infectados pelo coronavírus

Os pedidos de recuperação judicial tiveram queda de 1,5% em 2019. Foram 1.387 requisições, ante 1.408 registradas em 2018, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações Judiciais. O setor de serviços foi o que registrou maior volume de pedidos, com 598 solicitações, seguido de comércio, com 349, e indústria, 271.

As micro e pequenas empresas lideraram as requisições, com 851 pedidos em 2019, volume menor do que o registrado nos anos anteriores. Em seguida aparecem as médias empresas, que tiveram 309 solicitações no ano anterior, ante 327 em 2018 e 357 em 2017. Já as grandes empresas apresentam alta no total de pedidos no comparativo ano a ano, com 227 em 2019.

Leia também:
Atividade do comércio tem alta de 2% em 2019, diz Serasa
Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos

“A queda nos pedidos de recuperação judicial reflete a melhora da economia em 2019, reforçada pelas reduções nas taxas de juros. O crescimento das grandes empresas vai na contramão da tendência geral por conta de pedidos específicos de empresas relevantes dos setores de construção civil e editorial. Se não essa questão, os pedidos teriam caído também”, explicou o economista da Serasa Experian Luiz Rabi.

Segundo os dados, os pedidos de recuperação judicial tiveram alta de 7,2% em dezembro. Foram 119 em 2019 e 114 em 2018, reflexo das micro e pequenas empresas. O setor de serviços, com 66 solicitações, apresentou maior volume de requisições em dezembro.

Veja também

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 8,69%
economia

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 8,69%

Sob Bolsonaro, equipe econômica ganha 84% das decisões da Comissão de Ética
Ministério da economia

Sob Bolsonaro, equipe econômica ganha 84% das decisões da Comissão de Ética