Pernambucanos provam na CCXP que são “geeks”

Consumo médio diário dos fãs é de R$ 200. Roupas, brinquedos e games são os produtos mais procurados

CCXPCCXP - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

A primeira edição da Comic Con em Pernambuco, a CCXP-Tour Nordeste, confirma que os pernambucanos são verdadeiros “geeks”. Com gasto médio de R$ 200 no evento, fãs estão encontrando uma variedade de roupas, brinquedos e games ligados aos super-heróis, filmes e séries de televisão. Além disso, os visitantes arcam com os custos dos ingressos, que vão de R$ 79,99 a R$ 5.000.

Segundo o Instituto de Pesquisa NewZoo, o Brasil é o 4º maior mercado em número de jogadores de game no mundo, o que representa movimentação, por ano, de cerca de R$ 1 bilhão, deixando o País na 11ª posição no ranking mundial. E quem confirma esses números é Renato Mello. “Eu sou um fã de games. Aprendi isso com meu pai. Desde aventuras até futebol”, comentou o estudante que foi à CCXP com o pai e a irmã.

Em 2016, o segmento de e-commerce brasileiro faturou R$ 44,4 bilhões, segundo o Ebit. Entre os cinco produtos mais vendidos o ano passado, se destacam Eletrodomésticos 23%, Eletrônicos 12,4% e Informática 9,5%. “Com o aumento do consumo de computadores, celulares e tablets, muitas crianças, jovens e adultos têm usado a internet para acompanhar séries de TV, filmes e games”, ponderou o gerente da linha de games da Nagen, Fernando Freitas.

Durante os quatro dias da CCXP Tour Nordeste, atrações nacionais e internacionais vão interagir com os fãs. “Quem acompanha e assiste as séries e filmes, com certeza vai querer tirar uma foto e sair com um autógrafo do seu personagem favorito. Então, pagar o ingresso exclusivo, gastar com hotel, táxi e no fim comprar uma camisa ou brinquedo, vale muito a pena”, afirmou a gerente de comunicação da Netflix Brasil, Amanda Vidigal.

Ela ainda confirmou que o Nordeste é uma região importante para a empresa. “O público pernambucano consome muito a Netflix. Sem dúvidas é uma parcela de pessoas que exigem o melhor produto”, ponderou Amanda Vidigal.

O estudante Victor Farias, que trouxe uma parte da família, se considera um viciado em filmes e é um super fã do Homem de Ferro, fez a mãe desembolsar pela assinatura do serviço de streaming, por jogos do herói e utensílios ligados à marca responsável pela franquia. “Estava contando as horas para começar a CCXP, além de curtir o evento e comprar camisa, copo, bonecos e games do meu super-herói favorito”, disse João.

Veja também

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil
Montadoras

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela CEF
Seguro

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela CEF