Pernambuco pode ter terceira usina gerida por cooperativa de canavieiros

O investimento deve ser de R$ 6,5 milhões e geração de mais de 300 empregos diretos

O contrato está sendo analisado pela direção da EstrelianaO contrato está sendo analisado pela direção da Estreliana - Foto: Divulgação

Com objetivo de contribuir na produção de cana nesta safra, uma comitiva formada pelo prefeito da cidade de Ribeirão, Zona da Mata do Estado, diretores da usina Estreliana e da cooperativa agroindústria de fornecedores de cana (Copersul) acompanharam os trabalhos de preparação do parque industrial para a reativação da Estreliana. O investimento deve ser de R$ 6,5 milhões e geração de mais de 300 empregos diretos.

Com a reativação da Estreliana, a unidade deve se tornar a terceira usina no estado administrada pelo mesmo modelo cooperativado, como a Coaf/Cruangi, em Timbaúba, e a Agrocan/Pumaty, em Joaquim Nabuco. De acordo com o presidente da Associação dos Fornecedores de Cana (AFCP), Alexandre Andrade Lima, as negociações para o arrendamento da usina pela Copersul já estão em fase avançada. “Estamos desde o ano passado, negociando esse arrendamento com os proprietários. A associação está dando todo suporte necessário para viabilizar, porque sabemos que o cooperativismo para os pequenos negócios é a salvação”, explica.

Ainda segundo Andrade Lima, todo apontamento está sendo feito para dar início às operações da usina, ou seja, toda revisão e manutenção necessária. “A expectativa é que a usina comece a moer em setembro. Nesses próximos dias, deve ser finalizado o arrendamento”, revela. Com isto, o presidente da associação explica que toda a região deve ser beneficiada, gerando emprego e renda. “Somente os empregos indiretos gerados no campo chega em torno de 2 mil numa safra de cerca de 400 mil toneladas. A usina é de grande importância para o município de Ribeirão e para os municípios vizinhos que vão ter essa mão de obra absorvida”, complementa Andrade Lima.

Leia também: 
Governo estuda reduzir imposto e dar crédito para socorrer usinas
Pernambuco terá usinas solares de R$ 480 milhões


O avanço das tratativas se deve ao prefeito de Ribeirão, Marcelo Maranhão, que é filho do proprietário da Estreliana. O presidente da Copersul é o fornecedor de cana, Carlos Antônio César. Com a usina em funcionamento, a capacidade de produção do etanol também deve ser ampliada.

Veja também

Idosos vacinados planejam retomar hábitos de consumo
Consumo

Idosos vacinados planejam retomar hábitos de consumo

Burocracia freia os negócios
Burocracia

Burocracia freia os negócios