A-A+

Pernambuco terá novos empregos nos próximos anos

Secretário de Desenvolvimento Econômico, Schwambach diz que o Estado não deve seguir ritmo de crescimento nacional

Bruno schwambach, secretário de Desenvolvimento Econômico de PernambucoBruno schwambach, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco - Foto: Arthur Mota // Arquivo Folha

Pernambuco terá mais de 22 mil novos postos de trabalho nos próximos anos, oriundos de investimentos que somam quase R$ 15 bilhões no Estado em 2019. O número é considerado um recorde histórico no balanço da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, e os investimentos foram feitos pela iniciativa privada com a intenção de se instalar no Estado ou de expandir a sua atuação.

O número é considerado importante pelo governo estadual, porque, entre os anos de 2015 e 2018, fo­ram atraídos R$ 3,4 bilhões em no­vos negócios. Os negócios atraídos este ano somam R$ 14,88 bilhões e fazem parte de uma nova política de atração de investimento e segurança no cumprimento de con­trato feita pela SDEC, Agência de Desenvolvimento de Pernambu­co (AD Diper), e Complexo de Suape.

Os dois maiores empreendimentos que foram anunciados este ano somam R$ 11 bilhões em investimentos e são considerados de uma área estratégica para a economia estadual, o polo automotivo e as energias renováveis. Aquele com maior aporte foi a expansão da linha de produtos da montadora Jeep, do Grupo FCA, em Goiana, que fez um investimento de R$ 7,5 bilhões e vai gerar 9 mil empregos diretos. O segundo maior aporte ficou por conta da empresa espanhola Solatio, que vai montar um complexo solar fotovoltaico de R$ 3,5 bilhões em São José do Belmonte, no Sertão do Pajeú.

Leia também:
Setor imobiliário sai do fundo do poço e deve impulsionar economia em 2020
Proposta de taxar seguro-desemprego não deve avançar no Congresso  


De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Bruno Schwambach, em 2019, a pasta atuou com um trabalho de conhecimento do mercado pernambucano para atrair as empresas. “A gente conseguiu todo esse número com um trabalho feito a partir da inteligência de mercado, juntando dados, visitando as regiões, para atrair empreendimentos importantes. Alguns estão saindo do papel e outros estamos monitorando, para fazer a roda da economia girar, mostrando as possibilidades que Pernambuco tem, as possibilidades corretas para as diversas áreas e empreendimentos”, disse.

Bruno reforça, ainda, que o desempenho econômico de Pernambuco deve encerrar o ano acima dos números nacionais, mesmo após um período de crise financeira nos últimos três anos. “Tivemos um período de crise muito grande, a missão em 2020 é continuar o trabalho, adensar as cadeias e fazer o Estado crescer. Devemos ter um crescimento maior que o do Brasil. Já esperamos começar 2020 acelerado, buscando anúncios para a região, temos boas perspectivas para alguns anúncios no começo do ano”, contou Schwambach.

Veja também

CMN remaneja R$ 1,3 bi para cafezais afetados por geadas
Agricultura

CMN remaneja R$ 1,3 bi para cafezais afetados por geadas

Petróleo faz pausa e fecha em queda por tomada de benefícios
Petróleo

Petróleo faz pausa e fecha em queda por tomada de benefícios