Petrobras aprova programa de demissão voluntária com estimativa de 4 mil adesões

Serão elegíveis empregados da Petrobras Controladora que estejam aposentados pelo INSS até junho de 2020, quando se encerram as inscrições

O edifício sede da Petrobras, no centro do Rio de Janeiro (RJ)O edifício sede da Petrobras, no centro do Rio de Janeiro (RJ) - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Petrobras informou na última quarta-feira (24) que seu Conselho de Administração aprovou um novo programa de demissão voluntária, com estimativa de participação de 4.300 empregados.

Serão elegíveis empregados da Petrobras Controladora que estejam aposentados pelo INSS até junho de 2020, quando se encerram as inscrições. A companhia estima que a implantação da medida terá custo de R$ 1,1 bilhão, enquanto o retorno esperado é de R$ 4,1 bilhões no período entre 2019 e 2023.

Leia também:
Após 18 dias, Petrobras reajusta preço da gasolina em 2%
Bolsonaro justifica cortes na Petrobras citando projetos sem patrocínio da estatal
Aumento do desemprego é 'movimento da sazonalidade', diz secretário


"O efeito nas demonstrações financeiras ocorrerá à medida em que as adesões se efetivarem", afirmou a Petrobras, destacando que o programa também tem como objetivo "promover a renovação nos quadros da companhia quando for identificada essa necessidade."

Veja também

Caixa abre 770 agências neste sábado para beneficiários do auxílio emergencial
Banco

Caixa abre agências neste sábado para auxílio emergencial

Mercado de trabalho não dá qualquer sinal de recuperação, diz pesquisador
Mercado

Mercado de trabalho não dá qualquer sinal de recuperação, diz pesquisador