Petrobras aprova venda da PetroquímicaSuape

A mexicana Alpek pagou US$ 385 mi pelo negócio, que inclui a aquisição da Citepe, também situada em Suape

AulãoAulão - Foto: Marcelo Vidal|SDSCJ

 

Foi aprovada ontem pelo conselho de administração da Petrobras a venda da Companhia Petroquímica de Pernambuco (PetroquímicaSuape) e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe) para duas subsidiárias da empresa mexicana Alpek pelo valor de US$ 385 milhões. Outra operação que passou pelo conselho foi a venda das ações da Guarani (45,97%) para a Tereos Participations pelo valor de US$ 202 milhões. Os negócios totalizaram US$ 587 milhões. Com isso, a estatal fecha a primeira etapa de seu programa de desinvestimentos com uma receita de US$ 13,6 bilhões, US$ 1,5 bilhão abaixo da meta proposta em 2015.
A Petrobras alega que não atingiu a meta por conta de uma liminar da Justiça de Sergipe, que impede a conclusão das negociações dos campos de Tartaruga Verde e Baúna, localizados, respectivamente, na Bacia de Campos e na Bacia de Santos, as quais estavam em estágio avançado. Isso fez a meta de desinvestimento da companhia para o período entre 2017 e 2018 passar de US$ 19,5 bilhões para US$ 21 bilhões.
Ainda segundo a estatal, os ativos negociados não contam com empregados próprios da Petrobras e os vínculos empregatícios junto às respectivas companhias não são alterados em função das transações. As operações foram conduzidas por meio de processo competitivo, e o preço das vendas foi avaliado por diversas instituições financeiras, através de opiniões independentes sobre o valor justo (fairness opinion) e um relatório de avaliação (valuation report).
A Alpek é uma petroquímica líder nas Américas e opera dois segmentos: poliéster (PTA, PET e fibras de poliéster) e plásticos e químicos. A Companhia detém 23 plantas nos Estados Unidos, México, Canadá, Brasil, Argentina e Chile e emprega mais de cinco mil pessoas.
A Tereos já era sócia da subsidiária Petrobras Biocombustível (PBIO) na usina Guarani com 54,03% do capital total e é a terceira maior produtora de açúcar no mundo. A Guarani é a terceira maior produtora de açúcar do Brasil, com processamento de 20 milhões de toneladas de cana na safra 2016/2017. A empresa possui sete unidades produtoras de açúcar e etanol e duas refinarias no Estado de São Paulo.

 

Veja também

INSS pede para servidores entrarem em grupo prioritário da vacinação
VACINAÇÃO CONTRA COVID-19

INSS pede para servidores entrarem em grupo prioritário

Presidente da Eletrobras troca empresa pela BR Distribuidora
Economia

Presidente da Eletrobras troca empresa pela BR Distribuidora