Petrobras e Bolívia vão investir mais de US$ 1 bi em campos de gás

O acordo com a Petrobras foi assinado em cerimônia com o presidente boliviano, Evo Morales

A vereadora Michele Collins comanda o primeiro momento da posseA vereadora Michele Collins comanda o primeiro momento da posse - Foto: Reprodução/internet

O governo boliviano anunciou nesta segunda (7) que a estatal local YPFB e a Petrobras assinaram acordo para investir US$ 1,2 bilhão (R$ 3,84 bilhões) na exploração de dois campos de gás no país vizinho. A operação é parte de um pacote de quatro acordos de integração energética assinados em visita do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, à Bolívia. O acordo com a Petrobras foi assinado em cerimônia com o presidente boliviano, Evo Morales, e tem a duração de 40 anos. Petrobras e YPFB formarão consórcios para explorar os campos de San Telmo e Astilleros, no Departamento (o equivalente boliviano a um Estado) de Tarija.

Em San Telmo, a Petrobras terá 60% de participação e a YPFB, 40%, informou o governo boliviano. Em Astilleros, as participações são invertidas.
O ministro de Hidrocarbonetos, da Bolívia, Luis Sánchez, diz que o gás produzido nos campos permitira a extensão do contrato de fornecimento ao Brasil, que termina em 2019. O contrato atual prevê a importação de até 30 milhões de metros cúbicos por dia. "Se este projeto tiver êxito, poderemos produzir 14 milhões de metros cúbicos por dia. Queremos que a Petrobras fique [na Bolívia] por muitos anos", afirmou, segundo a agência oficial de informações.

Em 2006, o governo boliviano nacionalizou o setor de petróleo e gás, estatizando as refinarias da Petrobras e mudando os contratos de concessão de reservas. Procurados, o Ministério de Minas e Energia e a Petrobras ainda não se pronunciaram. Os outros acordos referem-se a venda de gás boliviano para a térmica de Cuiabá, da J&F, a estudos para a hidrelétrica binacional do rio Madeira e um memorando de entendimentos entre e Empresa Nacional de Eletricidade da Bolívia (ENDE) e a empresa de energia LTD.

Veja também

Fala de fundadora do Nubank sobre negros mostra incompreensão, dizem especialistas
economia

Fala de fundadora do Nubank sobre negros mostra incompreensão, dizem especialistas

STF inicia julgamento sobre ICMS de gás importado da Bolívia
economia

STF inicia julgamento sobre ICMS de gás importado da Bolívia