Petrobras usará R$ 34 bilhões do aditivo no leilão da cessão onerosa

A queda de custo de produção no pré-sal, para 5 dólares o barril, foi comemorado pelos executivos da companhia

PetrobrasPetrobras - Foto: Agência Petrobras/Geraldo Falcão

A Petrobras pretende usar os R$ 34 bilhões que receberá da União pelo aditivo do contrato de cessão onerosa no próprio leilão dos excedentes da área, marcado para 6 de novembro. O leilão oferecerá o direito de extrair petróleo e gás em áreas no polígono do pré-sal concedidas à Petrobras em 2010.

A diretora financeira e de relacionamento com investidores, Andrea Almeida, disse nesta sexta-feira (25) que a empresa espera receber os recursos ainda neste ano, à medida em que eles sejam arrecadados pela União.

"O dinheiro proveniente do aditivo do contrato a gente pretende, sim, usar no leilão agora no dia 6 de novembro. Integralmente", respondeu a jornalistas na coletiva de imprensa realizada hoje para divulgar o balanço da companhia no terceiro trimestre de 2019.

Segundo acordo firmado em 2010, a Petrobras tem direito de extrair até cinco bilhões de barris de petróleo equivalente dessas áreas, que fazem parte do Polígono do Pré-sal. Como foram descobertos volumes superiores a esse limite, o Conselho Nacional de Política Energética autorizou neste ano a Agência Nacional do Petróleo a licitar esse excedente em regime de partilha, o que vai acontecer em 6 de novembro e pode gerar mais de R$ 100 bilhões em bônus de assinatura.

Leia também:
Após um mês sem reajustes, Petrobras reduz preço do diesel em 1,5% nas refinarias
Petrobras tem lucro líquido de R$ 9,1 bilhões no terceiro trimestre


"Existe interesse, diversas empresas se inscreveram para participar do leilão", disse a diretora. "A gente conhece muito bem a região, então, a gente acredita que sim, que seja um bom campo exploratório".

A diretora avaliou o balanço divulgado nesta quinta-feira (24) e destacou que a produção aumentou 9,3% no período, quando houve queda de 10% no preço do petróleo. "Também tivemos maiores volumes no refino, no diesel principalmente", afirmou ela, que considerou os resultados "bem positivos".

A queda de custo de produção no pré-sal, para 5 dólares o barril, foi comemorado pelos executivos da companhia, que também chamaram a atenção para a redução do endividamento. "É um marco relevante no trimestre. A gente conseguiu reduzir em 11 bilhões de dólares a dívida da Petrobras, atingindo o valor de 90 bilhões de dólares".

Em relação ao programa de desinvestimentos, a diretora disse que a Petrobras já atingiu a meta de vender cerca de R$ 15 bilhões em ativos neste ano, e chegou a R$ 15,3 bilhões, dos quais R$ 13,3 bilhões já estão no caixa da companhia.

Veja também

Conta de luz fica mais cara com volta de tarifa extra a partir desta terça (1º)
Energia

Conta de luz fica mais cara com volta de tarifa extra a partir desta terça (1º)

Bolsa sobe 24% em novembro e fica entre as dez melhores do mundo
Mercado

Bolsa sobe 24% em novembro e fica entre as dez melhores do mundo