Petroleiros decidem votar nesta quinta-feira suspensão da greve

A suspensão será votada porque na terça (18), o TRT (Tribunal Regional do Trabalho do Paraná) suspendeu as demissões da fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados

PetroleirosPetroleiros - Foto: Wikipedia

Em reunião nesta quarta-feira (19), a FUP (Federação Única dos Petroleiros) decidiu propor à categoria interrupção provisória da greve para negociação com a Petrobras no TST (Tribunal Superior do Trabalho).

A decisão, porém, terá que ser confirmada em assembleias nos estados. A greve completou 19 dias nesta quarta. Segundo a FUP, cerca de 21 mil empregados aderiram ao movimento, com mobilizações em 121 unidades operacionais da companhia. A paralisação ganhou força nos últimos dias com apoio de partidos de oposição e outras categorias.

A suspensão será votada porque na terça (18), o TRT (Tribunal Regional do Trabalho do Paraná) suspendeu as demissões da fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados, principal demanda da categoria, até audiência de conciliação no dia 9 de março.

Leia também:
TST considera ilegal greve dos petroleiros
ANP diz que greve de petroleiros ainda não impacta suprimento de combustíveis

A Petrobras afirmou nesta quinta, porém, que a demissão está mantida e as negociações se referem ao pacote de benefícios. O anúncio das demissões detonou a maior greve dos petroleiros desde 1995, quando a categoria ficou 32 dias parada.

Ao anunciar a decisão, o coordenador da FUP, José Maria Rangel, disse que o "movimento que já é histórico só por existir resistir na atual conjuntura do país" e determinou a realização de assembleias até as 15h desta quinta (20).

A reunião de mediação com o TST está agendada para sexta (21), mas é condicionada à suspensão da greve. Rangel diz na nota que a greve pode ser retomada caso não haja avanços nas negociações.

A Petrobras decidiu hibernar a fábrica de fertilizantes, alegando que as operações dão prejuízo. Nesse processo, as atividades são suspensas e a empresa mantém apenas trabalhos de manutenção.

Ao todo, serão cerca de mil demitidos -396 empregados da Petrobras e 600 terceirizados. A estatal diz ter oferecido pacote que inclui até R$ 210 mil em indenização, de acordo com a remuneração e o tempo de trabalho, além de benefícios médicos, odontológicos e de educação por 24 meses.

Em nota, a companhia diz que, na audiência de conciliação, discutirá com o sindicato "as condições do pacote de benefícios". Cabe lembrar que a fábrica da Ansa [Araucária Nitrogenados SA] já se encontra em hibernação", diz a companhia. Segundo ela, os prejuízos com a unidade já superam R$ 2 bilhões.

Responsável por garantir o abastecimento nacional, a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis) diz que ainda não há impactos na produção, já que a Petrobras vem mantendo as operações com equipes de contingência.

Veja também

Idosos vacinados planejam retomar hábitos de consumo
Consumo

Idosos vacinados planejam retomar hábitos de consumo

Burocracia freia os negócios
Burocracia

Burocracia freia os negócios