Petroleiros podem entrar em greve

Paralisação dos petroleiros está sendo votada em todo o Brasil e mostra insatisfação com plano de desinvestimento da empresa, que prevê a venda de 60% dos ativos de quatro refinarias, inclusive a Rnest

Refinaria Abreu e LimaRefinaria Abreu e Lima - Foto: Divulgação

Os trabalhadores da Petrobras podem entrar em greve nos próximos dias. A ideia é cruzar os braços contra o plano de desinvestimentos da empresa, que prevê a venda de 60% dos ativos de quatro refinarias brasileiras, inclusive a Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco. Por isso, já foi aprovada por boa parte dos petroleiros que atuam na Rnest e na base pernambucana da Transpetro.

O indicativo de greve está sendo votado em todo o Brasil pelos sindicatos filiados à Federação Única dos Petroleiros (FUP). Em Pernambuco, as discussões começaram ontem em três assembleias do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Petróleo de Pernambuco e Paraíba (Sindipetro-PE/PB) no Complexo Industrial e Portuário de Suape - duas na Rnest e uma na Transpetro. Em todas elas, a paralisação foi aprovada. “Mais de 200 pessoas compareceram e o indicativo de greve foi aprovado por unanimidade”, relatou o diretor administrativo e jurídico do Sindipetro-PE/PB, Luiz Antonio Lourenzon, contando que, na Paraíba, a proposta também já foi acatada. “Por trás do processo de privatização, sempre há redução de salário, perda direitos e até demissão dos trabalhadores”, defendeu Lourenzon, explicando que a, apesar de o mercado avaliar a venda da Rnest como positiva em relação a investimentos, a categoria tem medo de perder direitos com a transferência deste ativo para a iniciativa privada.

Leia também:
Petrobras quer vender parte da Refinaria Abreu e Lima, em Suape
Petrobras confirma a venda de 25% da capacidade de refino
Mexicana Alpek assumirá polo petroquímico em Suape

A greve, no entanto, ainda não é certa. É que outras votações serão realizadas em Suape e no restante do Brasil. “Vamos dar continuidade ao calendário de assembleias, que vai até o dia 10. Mas já dá para dizer que os petroleiros estão dispostos a enfrentar as privatizações, visto que as maiores bases já votaram a favor”, afirmou Lourenzon. A data e o modo de paralisação, no entanto, ainda serão deliberados. Por isso, não se sabe quais setores da Rnest podem ser paralisados.

Vendas
Além da Rnest, o plano de desinvestimento da Petrobras atinge as refinarias Landulpho Alves (BA), Alberto Pasqualini (RS) e Presidente Getúlio Vargas (PR), fora 12 terminais e 24 dutos de movimentação de petróleo e derivados. No total, os empreendimentos representam 37% da capacidade de refino do País. Em Pernambuco, a empresa também já vendeu a Petroquímica Suape e a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe).

Veja também

Presidente do BB nega interferência política e diz que fará gestão técnica
CARGO

Presidente do BB nega interferência política e diz que fará gestão técnica

Para teles, Anatel quer cobrar preço alto demais por licenças 5G
5G

Para teles, Anatel quer cobrar preço alto demais por licenças 5G