A-A+

Petróleo

Petróleo faz pausa e fecha em queda por tomada de benefícios

O WTI fez uma pausa depois de nove altas em dez sessões, assim como o Brent, que teve uma trajetória mais sinuosa

PetróleoPetróleo - Foto: Geraldo Falcão/Agência Petrobrás

Os preços do petróleo registraram forte queda nesta quinta-feira (21) por tomadas de benefícios depois de uma sequência de altas, mas as condições para que a commodity mantenha o viés de alta continuam presentes.

Em Londres, o preço do barril de Brent do Mar do Norte para entrega em dezembro recuou 1,41% a 84,61 dólares.

Enquanto isso, em Nova York, o barril de West Texas Intermediate (WTI) para entrega no mesmo período, recuou 1,10% a 82,50 dólares em seu primeiro dia como referência do mercado.

O WTI fez uma pausa depois de nove altas em dez sessões, assim como o Brent, que teve uma trajetória mais sinuosa, mas ganhou mais de dez dólares em um mês.

"Embora algumas projeções apontem aos 100 dólares (o barril), os preços atuais começam a parecer altos para os operadores, que sempre têm a tentação de tomar lucros", comentou em nota Louise Dickson, analista da Rystad Energy.

"Os corretores que fixaram 86 dólares como nível de venta (alcançado nesta quinta-feira, durante as operações para o Brent) aproveitaram a oportunidade para tomar benefícios e os preços caíram", acrescentou.

"Os preços foram um pouco rápido" para a alta nestas últimas semanas, razão pela qual não é surpreendente que se "consolidem durante algumas semanas", avaliou por sua vez Bill O'Grady, encarregado de estratégia de mercados da Confluence Investment Management.

Mas os fundamentos continuam sendo os mesmos: oferta insuficiente, uma demanda que sobe e a aproximação do inverno no hemisfério norte.

"Para ir mais para cima", segundo O'Grady, "será necessário que o dólar se fragilize ou que as reservas comecem a cair rapidamente, o que vai ocorrer", avaliou.

"Os preços têm margem para aumentar neste contexto de escassez de energia", acrescentou Louise Dickson.

Veja também

Latam apresenta plano de recuperação de US$ 8,19 bilhões à Justiça americana
Companhia aérea

Latam apresenta plano de recuperação de US$ 8,19 bilhões à Justiça americana

Inscrições para a Rede CAF já estão abertas para entidades públicas e privadas
Agricultura familiar

Inscrições para a Rede CAF já estão abertas para entidades públicas e privadas