Petróleo

Petróleo faz pausa e fecha em queda por tomada de benefícios

O WTI fez uma pausa depois de nove altas em dez sessões, assim como o Brent, que teve uma trajetória mais sinuosa

PetróleoPetróleo - Foto: Geraldo Falcão/Agência Petrobrás

Os preços do petróleo registraram forte queda nesta quinta-feira (21) por tomadas de benefícios depois de uma sequência de altas, mas as condições para que a commodity mantenha o viés de alta continuam presentes.

Em Londres, o preço do barril de Brent do Mar do Norte para entrega em dezembro recuou 1,41% a 84,61 dólares.

Enquanto isso, em Nova York, o barril de West Texas Intermediate (WTI) para entrega no mesmo período, recuou 1,10% a 82,50 dólares em seu primeiro dia como referência do mercado.

O WTI fez uma pausa depois de nove altas em dez sessões, assim como o Brent, que teve uma trajetória mais sinuosa, mas ganhou mais de dez dólares em um mês.

"Embora algumas projeções apontem aos 100 dólares (o barril), os preços atuais começam a parecer altos para os operadores, que sempre têm a tentação de tomar lucros", comentou em nota Louise Dickson, analista da Rystad Energy.

"Os corretores que fixaram 86 dólares como nível de venta (alcançado nesta quinta-feira, durante as operações para o Brent) aproveitaram a oportunidade para tomar benefícios e os preços caíram", acrescentou.

"Os preços foram um pouco rápido" para a alta nestas últimas semanas, razão pela qual não é surpreendente que se "consolidem durante algumas semanas", avaliou por sua vez Bill O'Grady, encarregado de estratégia de mercados da Confluence Investment Management.

Mas os fundamentos continuam sendo os mesmos: oferta insuficiente, uma demanda que sobe e a aproximação do inverno no hemisfério norte.

"Para ir mais para cima", segundo O'Grady, "será necessário que o dólar se fragilize ou que as reservas comecem a cair rapidamente, o que vai ocorrer", avaliou.

"Os preços têm margem para aumentar neste contexto de escassez de energia", acrescentou Louise Dickson.

Veja também

Se os Simpsons morassem na Argentina não chegariam ao fim do mês, aponta estudo
ESTUDO

Se os Simpsons morassem na Argentina não chegariam ao fim do mês, aponta estudo

Notredame é multada em R$ 9,3 mi por shows privados de Jota Quest e Thiaguinho via Rouanet
MULTA

Notredame é multada em R$ 9,3 mi por shows privados de Jota Quest e Thiaguinho via Rouanet

Newsletter