Petróleo

Petróleo registra novo pico após transferência de embaixada dos EUA na Ucrânia

Anuncio foi interpretado como um sinal de um ataque russo iminente

PetróleoPetróleo - Foto: AFP

Os preços do petróleo subiram pouco antes do fechamento nesta segunda-feira (14) após o anúncio da transferência da embaixada americana de Kiev para Lviv, na Ucrânia, o que foi interpretado como um sinal de um ataque russo iminente.

O preço do barril de Brent do Mar do Norte para entrega em abril, o mais negociado em Londres, fechou em alta de 2,16%, a 96,48 dólares. Alguns minutos antes, o Brent tinha chegado a 96,78 dólares pela primeira vez desde setembro de 2014.

Em Nova York, o barril de West Texas Intermediate (WTI), com entrega para março, registrou alta de 2,53%, fechando a 95,46 dólares. Durante a sessão, o WTI alcançou seu nível mais alto desde setembro de 2014: 95,82 dólares.

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda a transferência temporária de sua embaixada na Ucrânia de Kiev a Lviv, no oeste do país, diante da "dramática concentração" de tropas russas na fronteira.

A notícia marcou uma inflexão nos preços do petróleo, que já estavam orientados para a alta.

A decisão americana de transferir sua embaixada acabou por relativizar os comentários do chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, que durante um encontro televisivo com o presidente russo, Vladimir Putín, avaliou, mais cedo nesta segunda-feira, que ainda havia "uma oportunidade" de se chegar a um compromisso sobre a crise ucraniana.

"O mercado está tenso", com uma oferta insuficiente "e a Opep (Organização de países exportadores de petróleo) não parece querer reagir e pôr mais petróleo no mercado", comentou o analista John Kilduff, da consultoria de investimentos Again Capital. 

Veja também

Caoa e Hyundai anunciam novo acordo para importação e produção de carros
VEÍCULOS

Caoa e Hyundai anunciam novo acordo para importação e produção de carros

FGTS digital: Pagamento com Pix e guia única para atrasados; nova plataforma entra em operação
BRASIL

FGTS digital: Pagamento com Pix e guia única para atrasados; nova plataforma entra em operação