conflito

Petróleo sobe até 5,4% após ataques do Hamas a Israel

Temor é de que possíveis sanções ao Irã afetem o fornecimento do produto

Campo petrolíferoCampo petrolífero - Foto: Pixabay

Os preços do petróleo subiram no mercado internacional após um ataque surpresa de Hamas em Israel ter trazido renovada instabilidade ao Oriente Médio.

Mais de 1.100 pessoas morreram desde o início dos combates entre Israel e o grupo militante Hamas durante o final de semana, em um conflito com potencial para gerar repercussões em toda a região.

O barril do petróleo do tipo WTI subiu até 5,4% em Nova York, chegando a superar US$ 87 no pior momento do dia. A alta depois perdeu fôlego, e por volta das 10h (horário do Brasil) estava em 3,9%.

O petróleo do tipo brent no contrato mais negociado, para dezembro, teve alta de 3,7%, também chegando a US$ 87.

A alta do petróleo ocorre pelo temor de que a guerra em Israel tenha repercussões para EUA e Irã. Este último se tornou uma fonte importante de fornecimento de petróleo este ano, diante de restrições na oferta do produto por outros países, como Arábia Saudita e Rússia.

Um possível aumento das sanções americanas ao Irã, em meio a relatos de que Teerã teria ajudado o Hamas a planejar os ataques - poderia dificultar o tráfego de navios pelo Estreito de Ormuz, uma via vital que transporta grande parte do petróleo do mundo e que o governo iraniano já ameaçou fechar em outras ocasiões. O Irã negou na segunda-feira (9) que estivesse envolvido no ataque.

Veja também

Meta e Apple discutem parceria em inteligência artificial, diz Wall Street Journal
TECNOLOGIA

Meta e Apple discutem parceria em inteligência artificial, diz Wall Street Journal

Grandes usinas solares igualam capacidade da hidrelétrica de Itaipu
energia limpa

Grandes usinas solares igualam capacidade da hidrelétrica de Itaipu

Newsletter