A-A+

Pierre Fabre abre centro de pesquisa em dermocosmética no Brasil

Com as marcas Eau Thermale Avène, Darrow e Ducray, o grupo francês ocupa o terceiro lugar no mercado brasileiro de dermocosméticos

LaboratórioLaboratório - Foto: Reprodução/Internet

O grupo Pierre Fabre anunciou nesta quarta-feira a abertura de um centro de inovação em dermocosmética no Rio de Janeiro - seu sexto no mundo -, afim de reforçar sua presença no Brasil, um país "estratégico" por ser o quarto maior mercado mundial de cosméticos.

O centro de 320 m2, cujo custo não foi revelado, vai contar com cerca de vinte pesquisadores e técnicos até 2021. Ele vai colaborar com os outros cinco laboratórios de pesquisa do grupo na França e Jupão, bem como com sua filial brasileira.

Sua missão será "desenvolver uma compreensão melhor das peles brasileiras no plano dermatológico e das necessidades de consumidores brasileiros no plano tecnológico", para antecipar "as tendência de um dos mercados de cosméticos mais sofisticados e criativos do mundo", afirma nota do grupo.

Leia também:
Comissão aprova projeto que proíbe uso de animais em testes para fabricação de cosméticos
Marca de cosméticos Lush anuncia saída do Brasil e vende tudo por metade do preço


Pierre Fabre já conta com uma fábrica de dermocosméticos no Brasil, após adquirir os laboratórios Darrow em 2006.  Com as marcas Eau Thermale Avène, Darrow e Ducray, o grupo francês ocupa o terceiro lugar no mercado brasileiro de dermocosméticos.

Suas vendas no país no ano passado alcançaram R$ 300 milhões, um crescimento de 10% em relação ao ano anterior.

Mas este mercado ainda é pequeno para o grupo, que no ano passado teve um faturamento global de 2,3 bilhões de euros, incluindo 1,4 bilhão de euros apenas no ramo de dermocosméticos.

Veja também

Bolsonaro diz que inflação não é por 'maldade' e alerta: 'Nada está tão ruim que não possa piorar'
INFLAÇÃO

Bolsonaro diz que inflação não é por 'maldade' e alerta: 'Nada está tão ruim que não possa piorar'

Facebook suspende projeto do Instagram para crianças
TECNOLOGIA

Facebook suspende projeto do Instagram para crianças