Pitú já espera boas vendas no São João

O otimismo é tanto que a Pitú ofertará 3 milhões de latinhas com layout especial em homenagem aos festejos juninos

“O nordestino comemora a festa junina o mês inteiro. Isso beneficia as vendas”, diz  Ferrer“O nordestino comemora a festa junina o mês inteiro. Isso beneficia as vendas”, diz Ferrer - Foto: Ricardo Nascimento/divulgação

Quando o consumidor mostra o dedo indicador e o polegar em um bar, o garçom já entende que é hora de trazer a tradicional dose de aguardente à mesa. E, se não for pura, não tem problema. Vários drinques - além da caipirinha - estarão disponíveis no cardápio. O que não muda, independente de como é servida, é quem é a estrela na cultura de bebidas nordestinas: a cachaça. E, com a aproximação do São João, ela é ainda mais apreciada. A Pitú, referência no setor, já espera resultado melhor que o das festas do ano passado. “O nordestino comemora a festa junina, praticamente, o mês inteiro. Isso beneficia nossas vendas”, relata o presidente da empresa, Alexandre Ferrer.

O otimismo é tanto que a Pitú vai distribuir 3 milhões de latinhas de 350 ml com layout especial em homenagem ao São João. As ilustrações, como um casal de matutos, bandeirinhas e fogueiras, tentam registrar na memória do consumidor momentos especiais associados com a marca. Isso porque os consumidores podem guardar a latinha de lembrança da festa.

O intuito com as embalagens personalizadas do réveillon, Carnaval, festival Abril pro Rock e agora do São João é de “se aproximar cada vez mais dos apreciadores de cachaça com trocas de experiências e lançamento de novidades que agradem todos os públicos”, diz Alexandre Ferrer.

Mercado
Para se ter noção do potencial do mercado, a indústria de bebida genuinamente pernambucana engarrafa e vende, anualmente, aproximadamente 95 milhões de litros. E, além de ser líder no Brasil, a Pitú também marca presença em outros países, como, por exemplo, Argentina, Canadá, Chile, Índia, México, Angola,

Tailândia, África do Sul e Emirados Árabes. O volume exportado, por ano, é de 2 milhões de litros. No entanto, embora seja tão conhecida pela cachaça, a fábrica produz outras bebidas. “A vodca Bolvana e a bebida mista Do Frei, que é a base de vinho, também fazem parte do nosso portfólio”, cita.

Veja também

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela CEF
Seguro

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela CEF

É cedo para dizer se haverá depreciação de carros da Ford após fechamento de fábricas
Ford

É cedo para dizer se haverá depreciação de carros da Ford após fechamento de fábricas