Plano de retomada em Pernambuco será regionalizado

Serão levadas em conta os números de casos da Covid-19 e estruturas de saúde nas cidades do Interior

Em mais uma reunião por videoconferência, o governador Paulo Câmara apresentou, com a participação da Associação Municipalista de Pernambuco – Amupe, os detalhes do “Plano de Monitoramento e Convivência com a Covid-19” para prefeitos de municípios do Interior.

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual destacou a ampliação da infraestrutura em saúde no Interior e a inclusão no plano de questões sociais e econômicas de todas as macrorregiões de Pernambuco.

A partir da próxima semana, o Governo do Estado, em parceria com a Amupe, realizará reuniões setoriais e regionalizadas com os prefeitos, no âmbito do Plano de Monitoramento e Convivência com a Covid-19.

“Fizemos uma reunião com os prefeitos e prefeitas do estado de Pernambuco, sob a coordenação da Amupe, onde apresentamos o Plano de Convivência da Covid-19 com o olhar da economia, as datas previstas para início da retomada de alguns serviços e como vai ser tocado esse plano. Agora, diante de alguns cenários de estabilização, nós já estamos discutindo como será o futuro, e a participação dos prefeitos é fundamental”, disse o governador.

Paulo Câmara fez questão de enfatizar a importância de envolver os prefeitos nessa questão do “Plano de Monitoramento e Convivência com a Covid-19”, que determina a retomada gradual e planejada das atividades econômicas em todo o Estado. Pelo cronograma, 32 setores da economia terão as medidas restritivas flexibilizadas.

Serão considerados, prioritariamente, a relevância socioeconômica dos setores e os riscos que o retorno de cada atividade representa para a saúde. Os próximos 15 dias serão determinantes para testar a segurança da flexibilização e os impactos na saúde da população. A partir do dia 8 de junho, a construção civil começará o retorno gradual, na Região Metropolitana do Recife e no Interior. Na RMR, as obras serão liberadas com 50% dos funcionários e no horário das 9h às 18h. Já no Interior, a liberação também é de 50% do efetivo, mas sem determinação de horário.

No dia 15 de junho, os serviços de atendimento ao público entrarão no circuito de flexibilização. Salões de beleza e serviços de estética estarão liberados, podendo atender um cliente por vez, sem fila de espera e com higienização entre um cliente e outro. Varejos de bairro também poderão funcionar, em lojas de até 200 metros quadrados. Shoppings centers, centros comerciais e praça de alimentação poderão adicionar o atendimento via coleta na operação.

Leitos
Através da Secretaria de Saúde, o Governo do Estado abriu 1.108 leitos (535 de terapia intensiva) na Região Metropolitana do Recife e 421 vagas dedicadas exclusivamente a pacientes com a Covid-19 em cidades polo do Interior (139 de UTIs e 282 de enfermaria), englobando todas as macrorregiões de Saúde do Estado.

Na RMR, os leitos estão distribuídos pela Capital, Olinda, Paulista, Jaboatão, Cabo de Santo Agostinho e Moreno. Destaque para os hospitais Agamenon Magalhães e de Referência Covid-19 - Unidade Boa Viagem (antigo Alfa), que possuem o maior número de vagas de UTI, com 60 leitos cada um.

O Agamenon Magalhães conta ainda com 30 vagas para admissão e estabilização de pacientes, enquanto o Hospital de Referência Covid-19 Boa Viagem possui outros 120 leitos de enfermaria, totalizando 180. O Hospital Universitário Oswaldo Cruz implantou 176 leitos dedicados à doença, sendo 45 UTIs. Já o Hospital Dom Hélder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, tem 40 vagas de Terapia Intensiva.

Na II macrorregional que engloba municípios do Agreste, há 142 leitos, sendo 68 de UTI e 74 de enfermaria. Eles estão distribuídos nos hospitais Mestre Vitalino e Regional do Agreste, em Caruaru, e Dom Moura e UPAE, em Garanhuns. Destaque para o Mestre Vitalino, com 65 leitos, sendo 40 UTIs. Na III macrorregião, há 33 leitos, sendo oito UTIs, nos hospitais Rui de Barros Correia (Arcoverde), Emília Câmara e Hospam (os dois últimos em Serra Talhada).

Na IV macrorregional, os leitos estão distribuídos pelos hospitais Inácio de Sá (Salgueiro), Santa Maria (Araripina); Neurocardio, Dom Malan e UPAE (Petrolina); além do Hospital Regional de Ouricuri, totalizando 114 leitos (20 de UTI). Além disso, ainda há vagas nas cidades de Palmares (50, sendo 20 de UTI), Limoeiro (30, sendo 20 de UTI), Vitória de Santo Antão (10) e Goiana (68, sendo 6 UTIs).



Veja também

TCU aponta ilegalidade em uso de dinheiro do SUS para distribuir cloroquina e cobra explicação de Pa
Saúde

TCU aponta ilegalidade em uso de dinheiro do SUS para distribuir cloroquina e cobra explicação de Pa

Dólar recua para R$ 5,32 após divulgação de ata do Copom
Câmbio

Dólar recua para R$ 5,32 após divulgação de ata do Copom