Planos de saúde manterão atendimento de inadimplentes

Acordo foi fechado com a Agência Nacional de Saúde Suplementar

Planos de saúdePlanos de saúde - Foto: Arquivo

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informou, nesta quinta-feira (9), que as operadoras de planos de saúde devem manter a assistência médica aos beneficiários inadimplentes dos contratos individuais, familiares, coletivos por adesão e coletivos com menos de 30 pessoas durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). De acordo com a ANS, o atendimento não pode ser interrompido até 30 de junho de 2020, período de vigência do termo de compromisso que deverá ser assinado pelas empresas com a agência.

A medida foi tomada em contrapartida à liberação de R$ 15 bilhões de um fundo de reserva do setor para garantir a continuidade dos serviços médicos diante da falta de pagamento das mensalidades.

Leia também:
Estados começam a calcular perdas de arrecadação com coronavírus
Estudo mostra alta em procura por planos de saúde antes da pandemia


Além de garantir o atendimento, as operadoras deverão oferecer aos beneficiários a renegociação das dívidas e realizar o pagamento dos prestadores de serviços, como hospitais e laboratórios de exames, pelos trabalhos realizados entre 4 de março de 2020 e 30 de junho de 2020.

“As medidas contribuem para que o setor possa enfrentar a tendência de diminuição da solvência e da liquidez das operadoras, reflexo do cenário de retração econômica deflagrado pela pandemia, evitando que a assistência à saúde dos beneficiários seja colocada em risco”, declarou a ANS.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Grandes empresas pedem que governo antecipe prazo para zerar emissões de poluentes
Meio Ambiente

Grandes empresas pedem que governo antecipe prazo para zerar emissões de poluentes

Fundador do Google entra em seleta lista de pessoas com mais de US$ 100 bilhões
Fortuna

Fundador do Google entra em seleta lista de pessoas com mais de US$ 100 bilhões