Plataforma online cria monitoramento da quarentena e facilita o retorno às atividades após a pandemi

Ferramenta estimula o engajamento e reúne dados sobre saúde, higiene e segurança

Plataforma "Fiquei em Casa"Plataforma "Fiquei em Casa" - Foto: Divulgação

Uma startup pernambucana desenvolveu a plataforma online “Fiquei em Casa” com o objetivo de orientar à população sobre como será a volta à rotina após a pandemia do novo coronavírus e apresentar aos usuários informações relevantes e positivas sobre o cenário da Covid-19 no Estado.

No ambiente digital, no endereço fiqueiemcasa.com.br, é feito o preenchimento de um cadastro com linguagem acessível, aberto para lembretes e atualizações diárias. Os dados incluem possíveis sintomas ou acometimento de doenças, interferências externas, utilização de produtos de higiene ou medicamentos, até a lembrança do hábito de lavar as mãos. O enfoque está no que se passa dentro dos lares, no dia a dia das famílias.

Após o cadastro, os usuários recebem um QR-CODE "Pessoal", para manter em seus smartphones, tablets, pulseiras ou mesmo receber em domicílio, para uso da forma que preferirem.

Leia também:
Crise do coronavírus acentua desigualdade de gênero e raça, diz estudo
Olinda constrói novo hospital de campanha para tratamento da Covid-19
Pernambuco registra 460 novos infectados e 35 mortes pela Covid-19 em 24h

“Entendemos que para a economia voltar a circular não depende apenas de decretos, as pessoas precisam ter confiança e segurança para voltarem as suas atividades cotidianas”, explica o CEO da Fiquei em Casa, Samuel Buarque.

As empresas ou instituições, de qualquer segmento, poderão adotar a tecnologia gratuitamente, fazendo a leitura eletrônica dos seus frequentadores. No momento da identificação, serão apresentados dados como nome, últimos quatro dígitos do CPF, e outros elementos relativos ao cumprimento das recomendações. O monitoramento vai proporcionar a conscientização dos hábitos durante e após o período de quarentena, traçando um recorte preciso da população.

O usuário pode se cadastrar gratuitamente, mas terá um custo mensal a partir de R$ 4,99, valor simbólico para manutenção da operação. Há também planos familiares e voltados para empresas.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Tarifa social de energia chegará 23,8 milhões de famíliasEnergia

Tarifa social de energia chegará 23,8 milhões de famílias

Mouse, SSD e nobreak estão entre os produtos mais buscados durante a Cyber Monday
REDES SOCIAIS

Mouse, SSD e nobreak estão entre os produtos mais buscados durante a Cyber Monday