Revitalização

Parceria entre o Porto Digital e BNDES poderá revitalizar bairro de Santo Antônio

Objetivo é consolidar o desenvolvimento econômico e a ocupação urbana já em curso na região

Presidente  do BNDES, Gustavo Montezano (E), e do Porto Digital, Pierre Lucena (D)Presidente do BNDES, Gustavo Montezano (E), e do Porto Digital, Pierre Lucena (D) - Foto: Divulgação

Os edifícios históricos do bairro de Santo Antônio, no centro do Recife, poderão ser revitalizados através de uma parceria entre o Porto Digital e o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Na última segunda-feira (01), o presidente do Porto Digital, Pierre Lucena, recebeu o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, para dar início à construção de um modelo piloto de restauração mobiliário nas cidades brasileiras, começando pela capital pernambucana. O BNDES doou R$ 2,75 milhões através da linha BNDES Fundo Cultural para os estudos.

Caso o modelo a ser desenvolvido pelo Porto Digital se torne aplicável no bairro de Santo Antônio, ele passará por uma revitalização. “O BNDES vem sendo um dos principais parceiros do Porto Digital. E agora o banco está chegando para ajudar o Porto Digital a montar um modelo de revitalização do bairro histórico de Santo Antônio. Ao conseguirmos construir esse modelo, ele poderá ser replicado para todo o país. Ao recuperar o centro da cidade, vamos recuperar o coração do Brasil. Vamos buscar fazer no bairro de Santo Antônio o mesmo que fizemos no Bairro do Recife, que hoje é um case de sucesso de revitalização de mobiliário urbano histórico para todo o País”, comentou Pierre Lucena.

O BNDES acredita que os benefícios sociais da revitalização urbana geram oportunidades para consórcios privados e o Porto Digital é um case de sucesso desse pensamento. A região onde fica o parque tecnológico era degradada e de pouca influência na economia local, porém vem sendo requalificada de forma acelerada em termos urbanísticos, imobiliários e de recuperação do patrimônio histórico edificado. De acordo com o Porto Digital, desde a fundação do parque tecnológico, em 2000, já foram restaurados mais de 138 mil metros quadrados de imóveis históricos.

A participação do BNDES tem como foco o desenvolvimento de novos modelos para revitalização de centros históricos das cidades brasileiras. O projeto se propõe a desenvolver um veículo de gestão piloto, conciliando esforços públicos e privados, voltados à reabilitação em larga escala de áreas históricas e patrimônios edificados. “O Porto Digital é um case para o Brasil. Aqui é um celeiro de cérebros. Precisamos levar esse exemplo de sucesso para todo o país. E o BNDES vai ajudar nesse esforço para apoiar essa expansão. Vamos apoiar também revitalização do patrimônio imobiliário do Bairro do Recife”, explicou Gustavo Montezano.

As atividades realizadas no Porto Digital irão englobar a realização de seminários internacionais, o detalhamento do modelo de referência, a definição do perímetro, a consolidação de metodologia, seleção de modelo de gestão, desenvolvimento de diretrizes e apresentação de resultados, com foco na reabilitação urbana de área do bairro de Santo Amaro. Finalizadas essas ações, haverá a constituição de uma entidade para gestão dos recursos dos investidores em incorporação de imóveis, aporte de capital, projetos executivos, obras e gestão dos ativos.  

Acompanhando os resultados obtidos, o BNDES poderá adaptar o modelo em diferentes localidades. O banco poderá ainda prospectar novas formas de atuação e apoio para impulsionar o desenvolvimento urbano.

 

Veja também

Em meio à pandemia de Covid-19, vetos ao Orçamento cortam recursos para saúde, educação e obras
Cortes

Em meio à pandemia, vetos ao Orçamento cortam recursos para saúde, educação e obras

Pão francês só poderá ser comercializado por quilo, a partir de junho
Inmetro

Pão francês só poderá ser comercializado por quilo, a partir de junho