Porto Digital quer abrir mais 3.200 empregos ao longo do ano

O parque tecnológico apresentou seu balanço e revelou que o faturamento cresceu quase 24%, passando de R$ 1,8 bilhão (em 2018) para R$ 2,3 bilhões (2019). Para este ano, meta inclui a expansão territorial

Segundo Lucena, um dos planos para 2020 é atrair mais mulheres para trabalhar no Porto DigitalSegundo Lucena, um dos planos para 2020 é atrair mais mulheres para trabalhar no Porto Digital - Foto: José Britto/Folha de Pernambuco

O Porto Digital fechou o ano de 2019 com um faturamento de R$ 2,3 bilhões, um valor quase 24% maior do que foi apurado em 2018, que foi de R$ 1,8 bilhão, de acordo com o seu balanço divulgado nesta terça-feira (28). Para 2020, a expectativa é que sejam abertos mais de 3.200 empregos nas empresas ao longo do ano. Ainda neste ano, uma expansão territorial do parque também está sendo pensada, chegando ao bairro de Santo Antônio, agregando valor a outros espaços da cidade.

Em 2019, o Porto fechou o ano com 11.659 colaboradores e tem também expectativa positiva para os próximos cinco anos. A meta é ter cerca de 20 mil colaboradores, dobrando de tamanho, distribuídos em 600 empresas embarcadas, com faturamento anual de R$ 3,5 bilhões.

Leia também:
Porto Digital abre Superchamada de empreendedorismo
Estudo revela que falta mão de obra qualificada no setor de tecnologia

Segundo o presidente do Porto Digital, Pierre Lucena, a principal dificuldade para dobrar o tamanho está na contratação de pessoas qualificadas para ocupar os cargos. “Isso chamou muito atenção nos gargalos elencados pelas empresas. O nosso primeiro desafio é resolver o mercado e as pessoas. São coisas significativas para conseguir assim avançar no nosso crescimento”, contou.

Pierre destaca que do total de colaboradores do Porto atualmente, apenas 32% são mulheres. Uma creche será inaugurada na próxima semana como uma forma de atrair mais trabalhadoras de tecnologia. “É uma creche pública. A gente fez e entregamos para a prefeitura. A ideia é que as colaboradoras utilizem o espaço assim como moradores da comunidade do Pilar. Esperamos que ajude a fixar o compromisso em atrair mulheres para atuar”, afirmou.

De acordo com o presidente do Porto, investidores estão interessados em buscar requalificar bairros onde o parque pode atuar, dentro da sua legislação, e vão apresentar um projeto para a Prefeitura do Recife. “Tem uma lei que rege o Porto Digital onde foi formado um quadrilátero que engloba o bairro de Santo Antônio. Temos um projeto que vamos apresentar ao prefeito para poder ocupar e requalificar a região. Já temos investidores interessados em fazer a recuperação do bairro e isso representa uma perna de possível crescimento”, contou.

Ainda este ano o Porto Digital irá fazer mais uma parceria com uma instituição de ensino para a capacitação e formação de profissionais da área de tecnologia. Será lançada a quarta parceria entre o parque e mais uma universidade, sendo esse um curso de graduação gratuito.

De acordo com o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Aluisio Lessa, o problema de formação é global, e o Estado irá fomentar a participação das pessoas nesses cursos. “Vamos pegar jovens do Programa Ganhe o Mundo, que têm um processo de formação na língua inglesa e incluir eles no mercado. A Universidade de Pernambuco terá um bacharelado em ciência e tecnologia modulado para atender a velocidade das empresas que pretendem empregar”, destacou.

Veja também

Zara fechará lojas menores no Brasil e focará em vendas online
Economia

Zara fechará lojas menores no Brasil e focará em vendas online

Procon multa banco em mais de R$ 7 milhões por empréstimos não solicitados
Economia

Procon multa banco em mais de R$ 7 milhões por empréstimos não solicitados