Semana Santa

Preço dos pescados na capital pernambucana pode variar em até 231,18%, aponta Procon Recife

O preço de 500g de bacalhau em lascas variou bastante na pesquisa, sendo encontrado de R$ 20,99 a R$ 49,99, uma diferença de 138,16%

Consumo de peixesConsumo de peixes - Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasilia

O preço dos pescados na capital pernambucana pode ser encontrado com diferença percentual de até 231,18%. É o que aponta a pesquisa realizada pelo Procon Recife em 11 estabelecimentos da cidade, divulgada nesta terça-feira (12).

O órgão analisou, entre os dias 28 de março e 4 de abril, os preços de 79 itens, entre peixes e chocolates, e constatou uma variação significativa nos valores praticados por um mesmo produto, a exemplo do salmão com 800g que custava R$44,99 em um estabelecimento e R$149,00, em outro, uma diferença de 231,18%.

O preço de 500g de bacalhau em lascas também variou bastante na pesquisa, sendo encontrado de R$ 20,99 a R$ 49,99, uma diferença de 138,16%.

Nos estabelecimentos pesquisados, o quilo do peixe dourado apresentou diferença de 196,79%, custando R$ 24,90 em um local e R$ 73,90 em outro.

Foram analisados, ainda, os valores dos ovos de Páscoa. De acordo com o órgão de proteção ao consumidor, o ao leite da Lacta, com 175 g, por exemplo, pode ser encontrado ao preço mínimo de R$32,99 e ao máximo de R$62,90, um acréscimo de 90,66%.

O secretário-executivo do Procon Recife, Pablo Bismack, alerta que os consumidores devem ficar atento à eventual prática abusiva de aumento injustificado do preço dos produtos nesta época. 

"Orientamos os consumidores a sempre pesquisar bastante antes de adquirir qualquer produto, uma vez que a variação de preços entre estabelecimentos é notória", afirmou Bismack.

Aquele que se sentir lesado, pode acionar o órgão pelo site, redes sociais ou pelo número 0800 281 1311.

A lista completa com todos os itens e valores encontrados na pesquisa pode ser conferida na página oficial do Procon Recife na internet.

 

 

 

 

 

Veja também

Empresas reduzem embalagens e qualidade para repassar custos
custos

Empresas reduzem embalagens e qualidade para repassar custos

Crédito rural do BB chega a R$ 254 bi no primeiro trimestre de 2022
AGRONEGÓCIO

Crédito rural do BB chega a R$ 254 bi no primeiro trimestre de 2022