Preços das hortaliças continuam em queda

Os custos caíram em função da condição favorável de cultivo de algumas regiõe

A batata está entre os produtos que continuam baratosA batata está entre os produtos que continuam baratos - Foto: Ceasa/divulgação

 

Os preços da batata, tomate e alface continuam em baixa na maioria das centrais brasileiras, apresentando apenas aumentos pontuais em alguns estados. Os dados são do 1º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Centrais de Abastecimento (Ceasas), desenvolvido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o estudo, as hortaliças que apresentaram alta nas cotações em praticamente todos os mercados foram a cebola e cenoura, o que já é fato característico para o período.

Já entre as frutas, o grande destaque de queda de preços no período foi o mamão, que teve aumento da oferta em vá­­rios mercados e pouca demanda, em virtude das festas de fim de ano e da maior com­petição com outras frutas tradicionalmente solicitadas nessa época, o que contribuiu também para o aumento da exportação desse produto. De acordo com o chefe de informação de mercado agrícola do Ceasa-PE, Marcos Barros, os custos caíram em função da condição favorável de cultivo de algumas regiões. “Entretanto, no geral, os valores ainda são considera­dos elevados e acima da mé­dia histórica em função da seca. Em 2011, uma dona de casa gastava R$ 300 para comprar uma cesta com 18 produtos. Em 2015, a mesma quantidade saia por R$ 763”, revelou.

Em sentido contrário, as frutas banana e laranja apresentaram tendência de alta de preços em grande parte dos mercados, sendo que a laranja continua escassa nos entrepostos atacadistas. Por sua vez, a melancia apresentou aumento de oferta em todos os mercados em relação ao período anterior, mas com preços ainda sem uma tendência definida.

Além das frutas e hortaliças analisadas regularmente pelo Prohort, outros produtos importantes na composição do quadro alimentar do consumidor apresentaram, da mesma forma, queda nas cotações. Dentre as hortaliças, destacam-se as reduções na média de preços da abóbora (4%), couve-flor (12%), moranga e mandioquinha (18%), quiabo (22%), berinjela (24%), jiló (26%), batata-doce (28%) e espinafre (42%).

 

Veja também

Dólar fecha abaixo de R$ 5,70 com alívio no exterior
Economia

Dólar fecha abaixo de R$ 5,70 com alívio no exterior

Governo prevê salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem ganho real
SALÁRIO MÍNIMO

Governo prevê salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem ganho real