Prefeitos vão enfrentar pressões financeiras

A agência não se mostra otimista em relação a esse quadro no curto prazo, já que “mudanças estruturais, relacionadas a impostos e sistemas de previdência, requerem aprovação do Governo Federal”

FHC chamou Fidel de gentil, curioso e bom articuladorFHC chamou Fidel de gentil, curioso e bom articulador - Foto: Reprodução

As eleições municipais também estavam no radar da Fitch Ratings, a segunda agência de classificação de risco a rebaixar a nota do Brasil, retirando o grau de investimento do País, no ano passado. Em documento divulgado ontem, a instituição analisa os desafios dos prefeitos eleitos no domingo e conclui que todos enfrentarão grandes pressões financeiras por conta da redução das receitas públicas.

“Os prefeitos recém-eleitos do Brasil terão pela frente desafios fiscais bem maiores que os de seus predecessores”, afirma o comunicado, que elenca dois grandes motivos para a insegurança financeira das prefeituras: a diminuição dos repasses estaduais e federais e a redução do total de impostos recolhidos pelos municípios.

“Muitas prefeituras começaram a lidar com dificuldades financeiras quando as transferências estaduais e federais começaram a diminuir, no atual mandato (2012-2016)”, diz o texto, ressaltando que os municípios são obrigados a tirar recursos do próprio caixa para aplicar nos serviços de saúde e segurança. Porém, lembra a Fitch, os recursos municipais também caíram e o Imposto Sobre Serviços (ISS) recolhido pelas prefeituras é consumido pela inflação e pelo aumento do comércio informal.

A agência não se mostra otimista em relação a esse quadro no curto prazo, já que “mudanças estruturais, relacionadas a impostos e sistemas de previdência, requerem aprovação do Governo Federal”. A Fitch também reconheceu a perda de poder do PT, mas citou como motivo da queda a Operação Lava Jato.

 

Veja também

Veja os números da Mega-Sena de R$ 32 milhões
Loterias

Veja os números da Mega-Sena de R$ 32 milhões

Retomada surpreende shoppings, que veem mais concorrência com comércio eletrônico
Comércio

Retomada surpreende shoppings, que veem mais concorrência com comércio eletrônico