Fábrica

Presença feminina aumenta na Ambev de Pernambuco

Cervejaria localizada em Itapissuma criou uma equipe 100% de mulheres para a área da brassagem

Equipe 100% feminina na área de brassagem da Cervejaria Ambev, em ItapissumaEquipe 100% feminina na área de brassagem da Cervejaria Ambev, em Itapissuma - Foto: Marlon Diego/Divulgação

A primeira etapa do processo produtivo de uma cerveja é a brassagem. É onde se faz um líquido (o mosto), que fermentado, vira cerveja. E é nessa área que a bebida ganha corpo, as cores e os sabores. Importantíssima para a concepção do produto, essa etapa é feita, pela primeira vez, apenas por mulheres na fábrica da Cervejaria Ambev, em Itapissuma, Região Metropolitana do Recife (RMR). Este mês, a empresa decidiu renovar a equipe e iniciar o processo da cerveja com uma equipe 100% feminina a partir de agora. 

Oito mulheres comandam a brassagem das cervejas da marca em um trabalho denso e de qualidade. Antes dessa decisão, apenas duas mulheres faziam parte da área da brassagem na fábrica. A mudança partiu da necessidade de um equilíbrio e de igualdade de gênero na fábrica como um todo.

Beatriz Afonso, 28 anos, é a coordenadora da área da brassagem há dois anos e participou desse processo de mudança. “As meninas entraram há 20 dias. Não tínhamos esse hábito de priorizar a presença feminina na operação. Durante conversas entre o time, debatemos sobre diversidade e equilíbrio. Então quisemos dar um passo no equilíbrio de gênero”, destacou Beatriz.

Nas funções da área da brassagem, as mulheres ainda realizam o recebimento de carretas com a matéria-prima da cerveja, fazem a estocagem dos itens e depois utilizam para fazer o mosto. “Em geral, quando abríamos o processo seletivo para a fábrica, as mulheres não se candidatavam nessa área. Poucas chegavam na fase final da seleção. Então quisemos começar o processo de uma forma diferente, já selecionando mulheres. E aí foi muito mais fácil encontrar as opções. Buscamos os critérios iguais para qualquer gênero”, disse Beatriz.

Amanda Larissa Luna, de 24 anos, é uma dessas mulheres selecionadas. Há 20 dias, ela faz parte da área de brassagem da fábrica como técnica de eletromecânica. “Já passei por quatro empresas e sempre fui a única mulher numa equipe masculina. Estou gostando bastante. É a chance de mostrar a capacidade e a competência da gente. E que lugar de mulher é onde ela quiser”, ressaltou Amanda.

A Ambev tem buscado cada vez mais fortalecer o número de mulheres em suas unidades. Hoje, a base de liderança da empresa é composta em 30% por mulheres. Segundo a Cervejaria, o índice ainda não é o ideal, mas está trabalhando para aumentar a representatividade feminina. Desde 2015, a empresa aumentou em 23% a quantidade de mulheres entre os cargos de gerente e diretores.

Na Ambev de Itapissuma, por exemplo, a Mestre Cervejeira é uma mulher, Elisa Urbano. Essa função é responsável por criar as fórmulas, desenvolver novos produtos, controlar as qualidades das marcas, da degustação e dos processos de harmonização.

“Meu gênero nunca foi uma limitação pra mim, isso nunca foi barreira na minha vida profissional. Nossa equipe quer inspirar novas unidades, outros ramos da indústria para abrir oportunidade para as mulheres”, ressaltou Beatriz.

Veja também

Guedes assina acordo para financiamento de exportações americanas que pode chegar a US$ 1 bi

Guedes assina acordo para financiamento de exportações americanas que pode chegar a US$ 1 bi

Ministério da Infraestrutura inicia fusão de estatais
Industria

Ministério da Infraestrutura inicia fusão de estatais