Economia

Prévia da inflação oficial registra taxa de 0,39% em janeiro, diz IBGE

Segundo dados divulgados nesta terça-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA-15 acumula taxa de 3,02% em 12 meses.

EconomiaEconomia - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A prévia de janeiro de 2018 da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), registrou taxa de 0,39%. A taxa é superior às verificadas nas prévias dezembro de 2017 (0,35%) e de janeiro de 2017 (0,31%). Segundo dados divulgados nesta terça-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA-15 acumula taxa de 3,02% em 12 meses.

A alta da taxa mensal do IPCA-15 foi influenciada principalmente pelos alimentos, que tiveram seu primeiro aumento de preços em sete meses. Na prévia de janeiro, o grupo de despesas alimentação e bebidas teve inflação de 0,76%. Os alimentos consumidos em casa tiveram alta de preços de 0,97%, com destaque para o tomate (19,58%), a batata-inglesa (11,70%) e as frutas (4,39%). As carnes tiveram aumento de preços de 1,53%.

A maior alta de preços entre os grupos de despesa do IPCA-15 foi observada, no entanto, entre os transportes, que tiveram inflação de 0,86%. Os combustíveis subiram 2,54%, com os aumentos de 2,36% na gasolina e de 3,86% no etanol. Os ônibus urbanos tiveram alta de 0,43% e os intermunicipais, de 0,94%.

Leia também:
Bolsa atinge novo recorde nominal com dado positivo da economia
Inflação do aluguel acumula queda de 0,34% em 12 meses


O grupo habitação foi o único que registrou deflação (queda de preços), de 0,41%, devido às contas de energia elétrica, que ficaram 3,97% mais baratas.

Veja também

Em março, 21 correspondentes bancários sofreram sanções por irregularidades no crédito consignado
Febraban

Em março, 21 correspondentes bancários sofreram sanções por irregularidades no crédito consignado

Bolsonaro diz que 'tem mais coisa para acontecer' na Petrobras para 'buscar alternativas'
Petrobras

Bolsonaro diz que 'tem mais coisa para acontecer' na Petrobras para 'buscar alternativas'