Produção industrial cai em 11 estados

Apenas a Bahia, com alta de 10,4%, o Pará, com 1,2%, e a Região Nordeste, com 0,8%, tiveram crescimento na produção em agosto, na comparação com julho.

Limites Limites  - Foto: Internet / Reprodução

 

SÃO PAULO (Folhapress) - A produção industrial nacional caiu em 11 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na passagem de julho para agosto deste ano. As quedas mais intensas foram observadas no Paraná (-8%), Espírito Santo (-6,4%), Amazonas (-5,7%) e em São Paulo (-5,4%), segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgada ontem. As informações são da Agência Brasil.
Também tiveram quedas, ainda que abaixo da média nacional de 3,8%, os Estados de Goiás (-2,9%), Minas Gerais (-2,8%), Pernambuco (-2,7%), do Ceará (-2,4%), Rio de Janeiro (-1,3%), Rio Grande do Sul (-0,2%) e de Santa Catarina (-0,2%).
Apenas a Bahia, com alta de 10,4%, o Pará, com 1,2%, e a Região Nordeste, com 0,8%, tiveram crescimento na produção em agosto, na comparação com julho.
Na comparação com igual mês do ano anterior, o setor industrial mostrou redução de 5,2% em agosto de 2016, com treze locais apontando resultados negativos. Vale citar que agosto de 2016 teve dois dias úteis a mais do agosto de 2015 (21). Nesse mês, os recuos mais intensos foram registrados por Espírito Santo (-23,9%) e Bahia (-11,3%), pressionados, em grande parte, pela queda na produção de indústrias extrativas (minérios de ferro pelotizados), no primeiro local; e de coque, derivados do petróleo e biocombustíveis (óleo diesel, óleos combustíveis, gasolina automotiva, parafinas, gás liquefeito de petróleo e naftas para petroquímica), no segundo.
Goiás (-7,6%), Amazonas (-7,4%), Mato Grosso (-6,4%) e Minas Gerais (-5,5%) também apontaram resultados negativos mais acentuados do
que a média nacional (-5,2%), enquanto Rio de Janeiro (-4,5%), Região Nordeste (-3,7%), Paraná (-3,5%), São Paulo (-3,3%), Ceará (-2,4%), Pernambuco (-1,8%) e Rio Grande do Sul (-1,4%) completaram o conjunto de locais com taxas negativas nesse mês. Por outro lado, Pará, com expansão de 17%, assinalou o avanço mais elevado em agosto de 2016.

 

Veja também

Fala de fundadora do Nubank sobre negros mostra incompreensão, dizem especialistas
economia

Fala de fundadora do Nubank sobre negros mostra incompreensão, dizem especialistas

STF inicia julgamento sobre ICMS de gás importado da Bolívia
economia

STF inicia julgamento sobre ICMS de gás importado da Bolívia