IBGE

Produção recorde de ovos e leite

Ciclo chuvoso, investimentos em genética e medidas econômicas são alguns dos fatores que influenciaram o resultado em Pernambuco

AgropecuáriaAgropecuária - Foto: Arquivo/Agência Brasil

Pernambuco bateu recorde na produção de ovos de galinha e leite de vaca no ano passado, e se destacou nacionalmente pelo aumento no rebanho de ovinos e caprinos. Ciclo chuvoso, investimentos em genética e medidas econômicas são alguns dos fatores apontados pela supervisora da pesquisa realizada pelo IBGE, Remonde Gondim.

Os dados, referentes à produção pecuária municipal de 2019, apontam para um crescimento estadual de 11,6% na produção de leite, chegando a um bilhão e 64 milhões de litros em 2019, o maior número da série histórica, iniciada em 1974. Pernambuco é o nono produtor de leite a nível nacional e o segundo na região Nordeste. A produtividade é de 2,2 mil litros de leite por vaca ao ano e as principais cidades produtoras são: Buíque (81 milhões de litros), Itaíba (68 milhões), Águas Belas (63 milhões), Bom Conselho (61 milhões) e Bodocó (52 milhões). 

De acordo com Remonde, o resultado positivo se deve a um conjunto de fatores. “A bacia leiteira do estado sofria com a seca desde 2012, mas o bom ciclo chuvoso proporcionou melhoria nas pastagens. Outra ação importante foi o investimento no melhoramento genético do rebanho. Também foram tomadas medidas econômicas, como a implantação da Câmara Setorial do Leite, o fim da isenção fiscal para empresas que importassem leite em pó e a antecipação do ICMS para empresas que adquirissem o produto de outro estado, beneficiando, assim, o leite in natura local”. 

O Secretário de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco, Dilson Peixoto, chama a atenção para o Selo Arte, que abre a possibilidade para a comercialização nacional de produtos derivados do leite. “Pernambuco é o primeiro estado do Nordeste autorizado a conceder esse selo e já conta com quatro queijarias certificadas. Hoje as queijarias compram cerca de 60% da produção de leite estadual e a expectativa é certificar outras, isso deve incentivar a produção e a geração de renda”, avalia. 

Pernambuco também registrou um aumento de 7% na produção de ovos de galinha entre 2018 e 2019, chegando a 284 mil dúzias. Esse foi o patamar mais alto já registrado pela pesquisa e garantiu a posição de sexto maior produtor do país, com 6,2% da produção total. A cidade de São Bento do Una, no Agreste, foi a quarta cidade brasileira com a maior produção de ovos de galinha em 2019 e é líder em Pernambuco na produção de ovos de codorna. O valor de produção dos ovos de galinha trouxe para o município R$ 312 milhões.
 

Com relação aos caprinos, o estado detém o segundo maior rebanho do Brasil, com 2,6 milhões de cabeças e representa 23% da produção nacional. O aumento na produção foi de 10,9% em 2019. Entre os ovinos, Pernambuco registrou um aumento na produção de 15,1% em 2019, e é o terceiro maior produtor nacional, com 13,5% da produção. “Nosso pessoal técnico tem dado muitas assessorias, realizado eventos e visitado granja a granja, com o objetivo de estimular o produtor a melhorar a sua produção”, comenta Dilson.

Remonde avalia que os número para 2020 não devem alcançar os de 2019, principalmente devido aos impactos da pandemia. “Podemos perceber, através de outras pesquisas trimestrais, que o período de março a abril foi de grande queda. Ao final do ano, o apurado não deve ser o ideal e esperado, a não ser que tenha uma reviravolta”. Para Dilson, os números devem crescer em 2021. “Nossa expectativa é que as medidas que estão sendo tomadas façam com que os números cresçam no próximo ano. De um lado trabalhamos a questão genética e do outro as questões de ordem econômica e fiscal”, finaliza. 

Veja também

Guedes diz que acordos políticos dificulta privatizações
economia

Guedes diz que acordos políticos dificulta privatizações

Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir desta terça (27)
petrobras

Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir desta terça (27)