Recife é uma das 7 capitais onde passageiro vai despachar sua bagagem

Infraero implantará o sistema em sete aeroportos; O do Recife será o primeiro a adotar a solução ainda este ano

Bagagens. Bagagens.  - Foto: Folha de Pernambuco

A partir do segundo semestre deste ano, o Aeroporto Internacional do Recife contará com o sistema de autodespacho de bagagem. A Infraero, operadora de terminais no Brasil, vai implantar a solução em sete aeroportos, e o da capital Pernambucana será o primeiro a receber os postos. Os terminais de Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Curitiba (PR), Belém (PA), Goiânia (GO) e Maceió (AL) vão receber os sistemas até o primeiro trimestre do próximo ano.

De acordo com a Infraero, o intuito da medida é aprimorar o atendimento aos passageiros e otimizar a infraestrutura dos aeroportos. Será permitido aos passageiros fazerem o check-in nos terminais de autoatendimento e despachar as malas de maneira mais rápida, segundo a empresa. As políticas para realização do autodespacho serão de acordo com cada companhia. Para o presidente da empresa, Antônio Claret de Oliveira, o sistema será por meio de uma estrutura intuitiva e de fácil uso, que permitirá ao usuário fazer o próprio check-in e despachar a bagagem. Ainda segundo ele, os passageiros poderão ser auxiliados pelos funcionários das aéreas.

Leia também:
Cachorro morre após viajar em compartimento de bagagem de mão em avião
Nova regra de bagagem ainda confunde passageiros no Recife
Bagagem será cobrada a partir de junho


Ainda será implantada a ferramenta do check-in compartilhado que vai reunir as plataformas das empresas aéreas em um mesmo equipamento de autoatendimento para que o cliente faça o registro de embarque sem precisar enfrentar filas. Segundo o diretor de Negócios Comerciais da Infraero, Marx Martins Rodrigues, o modelo será uma prática de trocas de experiência com as concessionárias em que a estatal é sócia. As duas medidas, do autodespacho e do check-in compartilhado, foram feitas a partir de um contrato de concessão comercial de 15 anos entre a Infraero e a empresa de soluções Sita.

Voos
Após a decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de proibir o aumento do número de frequências de voos para o Aeroporto do Recife, o de Zumbi dos Palmares (Maceió) e o de Santa Maria (Aracaju), o presidente da Infraero, Antonio Claret de Oliveira, esteve no terminal para desencadear as ações de restrição de voos impostos pela Anac.

De acordo com a Infraero, a medida leva em consideração as recomendações de restrição de novos investimentos devido ao processo de concessão dos aeroportos. A empresa ainda informou que para não haver prejuízo, ficará atenta quanto ao aumento natural de voos nos meses de junho e julho, considerados alta temporada devido às férias escolares. Publicada no Diário Oficial da União no último dia 7, a decisão entrará em vigor após 90 dias dessa data.

Veja também

Corte em crédito rural no Orçamento de 2021 ameaça agricultura familiar
Crédito Rural

Corte em crédito rural no Orçamento de 2021 ameaça agricultura familiar

Equipe de Guedes planeja corte na pasta de Marinho para atender ao Congresso
Economia

Equipe de Guedes planeja corte na pasta de Marinho para atender ao Congresso