Recife estreia sinal de TV digital no NE

Região metropolitana obteve o maior índice de digitalização pré-desligamento já registrado em todo o Brasil: 92,43%

Digitalização dos 14 municípios pernambucanos foi a maior já alcançada pelo GovernoDigitalização dos 14 municípios pernambucanos foi a maior já alcançada pelo Governo - Foto: Rafael Furtado

A Região Metropolitana do Recife (RMR) já é a primeira localidade do Nordeste a ter um sinal de televisão totalmente digital. O sinal analógico foi desligado às 23h59 da última quarta (26) na capital pernambucana e nos outros 13 municípios que compõem a região. E a transição foi comemorada pelo Governo Federal. Afinal, o Recife obteve o maior índice de digitalização pré-desligamento já registrado no Brasil: 92,43%.

“Recife teve um aumento muito grande da digitalização. Para se ter ideia, na primeira quinzena de maio, o índice era de 78,6%. Mas, na última pesquisa de campo, em 22 de julho, 92,43% das casas já estavam digitalizadas”, detalhou o coordenador geral de televisão digital do Ministério das Cidades, William Ivo, lembrando que, nos 14 municípios pernambucanos contemplados pelo desligamento, vivem cerca de quatro milhões de pessoas em 1,2 milhão de domicílios.

Ivo ainda contou que, antes do Recife, as cidades de Rio Verde, Brasília, São Paulo e Goiânia já tiveram o sinal analógico desligado. Nenhuma delas, no entanto, teve uma adesão tão grande ao sinal digital na data marcada para a transição. Rio Verde, por exemplo, só tinha 85%; Brasília, 89%; e São Paulo, 90%. Goiânia até chegou perto dos 92%, mas só depois que o desligamento foi adiado em 21 dias. “Estamos aprimorando as campanhas de digitalização. No Recife, por exemplo, fizemos muitos mutirões e parcerias. E isso foi importante para alcançarmos esse patamar”, explicou o coordenador do projeto, dizendo que a capital pernambucana foi escolhida para estrear o sinal digital no Nordeste justamente pelas dificuldades que apresentava. “É uma cidade grande que tinha muita necessidade dos kits de conversão”, falou.

Só a Seja Digital, instituição não governamental responsável por operacionalizar a migração do sinal de televisão, distribuiu 524 mil kits gratuitos na RMR. E mais 100 mil conversores serão doados nos próximos 45 dias para famílias de baixa renda que solicitarem o equipamento no telefone 147 ou no site do Seja Digital. “São 625 mil kits. Já Fortaleza, que tem nove milhões de pessoas, terá 600 mil”, revelou Ivo, contando que, em Pernambuco, os próximos desligamentos são o de Caruaru e Petrolina, marcados para 5 de dezembro de 2018.

Benefícios
Além de melhorar a imagem e o som da TV até nas transmissões via celular, o sinal digital permite o aperfeiçoamento da internet rápida de quarta geração, o 4G. É que o desligamento do sinal analógico libera a faixa de 700 MHz para o uso da banda larga móvel. “A faixa de 700MHz apresenta melhores características de propagação e penetração de sinal, o que nos permitirá ampliar a cobertura utilizando menos infraestrutura”, explicou a Vivo, que oferece o 4G em 22 cidades de Pernambuco.

A TIM, por sua vez, já oferece o serviço em 89 municípios pernambucanos e quer chegar a mais 55 este ano. A operadora ainda antecipou o uso da nova frequência para o início do mês e na segunda-feira vai lançar novo serviço: ligações de voz pela rede 4G. “As ligações terão menos ruído e vão consumir menos bateria do celular. O tempo de conexão vai cair de oito para dois segundos”, disse o gerente de engenharia de redes da TIM no Nordeste, Ageu Guerra, frisando que a melhoria só estará disponível para modelos de celular compatíveis com a tecnologia VoLTE.

A Claro também está trabalhando para ampliar a rede 4,5G. Já a Oi não comprou nenhuma faixa da nova frequência no leilão federal de 2014.

Veja também

Nova meta do governo prevê fibra ótica em 99% da cidades brasileiras
Tecnologia

Nova meta do governo prevê fibra ótica em 99% da cidades brasileiras

Dólar volta a R$ 5,40 com tensões no mercado externo
Câmbio

Dólar volta a R$ 5,40 com tensões no mercado externo